Break the rules Follow einer Story

cupcake_ruivo Lory Cake

As regras são simples: Nada de beijos; Nada de chamar pelo nome; Nada de palavras de afeto; Apenas foder E partir. Estava tudo funcionando muito bem para Naruto Uzumaki até aquele sábado. Um olhar para aquele moreno perigoso e ele sabia que faria de tudo para tê-lo em sua cama, aplicando suas preciosas regras. No entanto, bastou uma única noite para que o inexperiente Uchiha fizesse o loiro baixar a guarda. Em meio a desentendimentos, palavras não ditas, sentimentos turbulentos e um gato da sorte, os dois descobrem que, para viver o amor verdadeiro, é preciso quebrar algumas regras.


Fan-Fiction Alles öffentlich.

#Naruto #Yaoi #Lemon #Naruto/Sasuke #SNSChruch
40
7670 ABRUFE
Abgeschlossen
Lesezeit
AA Teilen

Me lembre de agradecer o seu gato

OI GENTE

ESSA É UMA SHORT FIC QUE EU FIZ TB COM A NINA, @JPSTYLE

ELA É NOSSA PRIMEIRA BEBE JUNTAS E FOI MUITO DIVERTIDO ESCREVER.

ESPERAMOS QUE GOSTEM

Se tinha uma pessoa que não se irritava com nada, essa pessoa era Naruto Uzumaki. Entretanto, fazer plantões aos finais de semana, quando ele poderia estar na cama de alguém, realmente não o agradava.

Agora, após horas e mais horas sentado na cadeira de dentista que deveria ter algum paciente, ele se perguntava porque diabos ele tinha que ficar ali esperando alguém aparecer, eles não podiam simplesmente lhe ligar como os pacientes de sua clínica faziam? Por que ele havia prometido a Tsunade fazer esses plantões idiotas? Fitou o relógio mais uma vez, finalmente sete da noite. Poderia sair daquele lugar que cheirava a doença e procurar alguém para impor suas regras.
Foi até o estacionamento pegando uma pequena mala onde guardava umas roupas mais casuais. Ele não conseguiria comer ninguém fedendo a hospital. Se encaminhou de volta aos elevadores, pensando em um banho relaxante, quando ouviu gemidos intensos vindo de trás de um dos carros do estacionamento. Alguém estava se divertindo mais que ele, afinal. Sentindo uma pontada de inveja e outra mais forte ainda de curiosidade, se esticou, ficando na ponta dos pés na tentativa de ver quem era. Avistou a cabeleira rosa que se espalhava pelo teto do carro. Maldita Haruno. Estava se dando bem. Se Naruto não a conhecesse bem, não saberia que ela estava sendo chupada pelo cirurgião plástico Akasuna no Sasori. O desgraçado era casado. Casado com um homem. Que Puto.
Optou em deixar a cena para trás e seguiu até os chuveiros da Ala médica. Não conseguindo tirar os gemidos da rosada de sua mente, acabou se aliviando ali mesmo. Caralho a desgraçada sabia o que estava fazendo. E o Akasuna era uma beldade, desde que havia chegado no hospital era possível ouvir os corações das enfermeiras se partindo ao descobrirem que ele era gay. Bom, parece que o filho da puta era bi, afinal.
Já devidamente vestido e perfumado, deu uma conferida no espelho, com certeza comeria alguém hoje.

Deixando o carro no estacionamento do hospital mesmo, seguiu a pé até um pub que havia ali perto. Cheio de residentes com os corpos implorando por atenção. Entrou no local, indo até o bar e pedindo uma cerveja. Correu os olhos pelo local a procura de alguém com quem pudesse iniciar os trabalhos. Pousou o olhar sobre o Uchiha gostoso sentando sozinho em uma mesa no canto, ele olhava o relógio e batia os joelhos. Estava esperando alguém. E não precisou pensar muito pra descobrir quem era.

Sasuke ainda não sabia porque se admirava com a falta de pontualidade da amiga. Não era a primeira vez que ela o deixava plantado no bar, mas, ainda assim, ele insistia em chegar na hora. Não era como se ele pudesse evitar. Ele gostava de fazer as coisas corretamente e chegar no horário era apenas uma das pequenas coisas que ele apreciava. Mas Sakura parecia não ligar para isso. Por esse desinteresse, ele estava sozinho numa mesa de bar, ouvindo as conversas agitadas de tantas pessoas, recebendo olhares nada agradáveis por estar sozinho, quando havia tanta gente por lá.

Olhou no relógio outra vez, tentando não ficar tão furioso com aquela demora, mas era difícil. Ele já não tinha o melhor dos humores e ser obrigado a esperar não ajudava em nada. O celular vibrou e ele esperou que fosse uma mensagem da moça de cabelos cor-de-rosa, mas não era. Apenas uma notificação qualquer, deixando ainda mais evidente o fato de estar sendo ignorado. Foi obrigado a soltar um suspiro logo antes de sorver mais um gole de bebida.

Ela não iria.

Havia um modo de deixá-lo ainda mais irritado, afinal.

O moreno era amigo de infância da Rosada. Naruto já havia pedido diversas vezes a ela para apresentar os dois. E ela dizia que ele era hétero. Claro, esse cara exala heterossexualidade.

Uhum, senta lá Cláudia.

Se aproximou da mesa.

— Posso me sentar com você? - Perguntou com um sorriso malicioso - O bar está cheio, e sua mesa vazia.

Sasuke levantou o olhar por um segundo, dando de cara com o rosto sorridente do loiro. Não era bem um estranho, sabia que já o tinha visto em algum lugar. Olhou outra vez para o celular e soltou um suspiro resignado.

— Por que não? - Escorou-se à cadeira - Parece que minha companhia não vem.

— Oh, eu posso te garantir isso. Creio que ela arranjou algo mais divertido para fazer.

Sasuke estreitou os olhos, tomando mais um gole da bebida, observando enquanto o loiro se sentava.

— Que quer dizer?

— Digamos que a Haruno sabe se divertir. Você estava a esperando, não é? Sou Naruto, Uzumaki Naruto. - Esticou a mão direita para o moreno.

— Uchiha Sasuke - correspondeu ao cumprimento - Como sabe que eu esperava por ela?

— Eu já vi vocês juntos aqui. - Deu uma golada na cerveja - Ela já me falou sobre você. São amigos de infância.

— Como sabe sobre isso?

— Oh, me desculpe. Estou agindo como um Stalker.- Sorriu nervoso por estar se entregando, que porra tava acontecendo? - Nós trabalhamos juntos. Quer dizer, fizemos alguns plantões juntos. - Entregou um cartão de visitas ao moreno - Sou Odontologista.

Sasuke estendeu a mão novamente, pegando o cartão vendo o nome e o número do rapaz. Sentia-se um pouco melhor por saber ao menos algo sobre ele, quando percebeu que ele sabia muito sobre si.

— O que quis dizer com diversão? - Guardou o cartão no bolso - Digo, quando falou sobre a Sakura.

— Eu meio que vi ela em uma situação que, se eu não fosse uma vagabunda, teria ficado constrangido.

— Ela estava com outro cara - Revirou os olhos.

Ergueu o braço e pediu um Whisky a um dos garçons. Saber que Sakura o deixou plantado por mais um de seus casos era revoltante, embora ele não conseguisse culpá-la de verdade. Mas precisava beber algo mais forte.

— Uou, parece que alguém quer algo forte hoje. Vou lhe acompanhar então. - Levantou a mão e pediu ao garçom uma dose de Gim. Voltando a atenção ao Uchiha. - Vocês dois tem algum tipo de relacionamento? Digo, sei que não namoram sério nem nada. Mas vocês se pegam? - Precisava saber se o Moreno perigoso tinha algo com a colega de trabalho antes de levá-lo para sua cama.

— Não - respondeu rapidamente, fazendo uma careta, talvez pela bebida, talvez pelo desgosto em ouvir aquela pergunta - Ela até tentou no Ensino Médio, mas não rolou. Somos amigos. E eu procuro algo sério.

Merda, merda, merda. Pelos sete infernos, como alguém tão gostoso poderia querer algo sério quando poderia pegar aquele bar todo?

— Entendo. Engraçado, você não me parece o tipo de um homem só. - Sabia que o cara se considera “não sou gay”, mas queria ver sua reação

Sasuke engasgou com a bebida e passou a mãos pelos lábios, tentando se recompor.

— De fato. Eu sou de uma mulher só. Não sou gay, desculpe.

Naruto começou a rir da resposta dele. Era engraçado conhecer pessoas que não se descobriram ainda.

— Claro que não é. Você pode ser bi. Existe um leque de opções para nos prendermos nesses rótulos, não acha? - Deu um longo gole na bebida, não queria chatear o Uchiha, ou suas chances de dormir com ele iriam pelo ralo, mas não tinha paciência para enrustidos. Nada pior do que uma bicha enrustida. - Você, alguma vez, se imaginou beijando um cara?

Talvez fosse pura ingenuidade, mas somente naquele momento Sasuke percebeu o brilho no olhar de Naruto e não era nada inocente. Os lábios vermelhos ainda estavam úmidos do último gole que havia dado em sua bebida e a pergunta ecoou na cabeça do Uchiha de forma… Estranha.

— N-não - respondeu - Já disse. Eu sou hétero.

— Hum, como pode ter tanta certeza se não experimentou? - Deu mais um gole na bebida - Olha, quando eu vi você a primeira vez, os faróis brilharam. Com milhares de luzes vermelhas piscando em alerta. E vai por mim, os faróis não erram.

— Que faróis? - perguntou, novamente estreitando os olhos, confuso.

— Ah, você sabe. O alerta gay.

Sasuke engasgou-se mais uma vez, totalmente perdido e constrangido naquela conversa. Mas do que ele estava falando?

— Muito bem, eu não costumo fazer isso - mentira - Mas estou disposto a te ajudar. Uma noite. Uma noite comigo e você não terá mais essas dúvidas. Entretanto você terá que seguir as minhas regras.

Tudo bem, aquilo já estava passando dos limites.

— Eu não preciso passar noite alguma com você. - Levantou-se, mais irritado do que estava antes - Nem seguir nenhuma regra idiota.

Jogou algum dinheiro sobre o balcão para pegar a própria bebida e deu as costas para o Uzumaki, querendo apenas sair daquele lugar e se livrar daquela conversa estranha de faróis.

Naruto ficou perplexo. Havia levado um fora? Pelos céus o caso era pior do que imaginava. Ah, mas ele não desistiria do Uchiha assim tão fácil.
Mas como ninguém é de ferro, pegou o celular a procura de alguém para aquela noite. Foi passando pelas opções, entretanto já havia saído com a grande maioria dos contatos - Sua a mãe não se orgulharia - E ele não saia com a mesma pessoa duas vezes.

Como se recebesse um sinal, o aplicativo de mensagens piscou. Era Ino, a loira gostosa que tinha feito faculdade consigo. Ela não estava noiva? Bem, não era como se ele se importasse. Enviou o endereço de seu apartamento e seguiu até o estacionamento. A noite estava apenas começando.

***

Sasuke estava indignado. Como alguém poderia ser tão cara de pau a ponto de propor todas aquelas coisas para uma pessoa que acabou de conhecer? Certo, ao que parecia, Naruto sabia muito sobre ele. Até demais. Sabe-se lá que coisas Haruno poderia ter contado a ele, isso o deixou realmente frustrado. Era injusto que o loiro conversasse com ele com tanta naturalidade, como se já fossem amigos quando, para Sasuke, ele era um completo estranho.

Bem, estava exagerando. Afinal, ele tinha certeza que já o tinha visto e agora tinha ideia de onde. Ainda assim, isso não deixava toda a situação menos embaraçosa.

Faróis. Beijar outro cara. Onde já se viu?

Quer dizer, Sasuke não tinha cara de quem curtia outros homens, ou tinha?

Estava tão absorvido em todos aqueles pensamentos, que nem ao menos notou quando pôs os pés dentro do apartamento. Foi direto para o banheiro, tirando aquelas roupas e olhando-se no espelho por um tempo.

Ele sabia o que queria. Ainda era jovem e acreditava que a pessoa certa estaria por aí, em algum lugar. Não que ele fosse o cara mais sortudo do mundo, mas acreditava de verdade que uma pessoa pode ser destinada a outra. Ele só ainda não havia conseguido encontrar.

Tomou um banho rápido e colocou roupas mais leves, procurando seu gato pela casa. Havia achado o bichano algumas semanas antes e estava convencido a doar para alguém, por isso ainda não tinha dado um nome a ele, na ilusão de que, dessa forma, não se apegaria ao animal.

Doce engano. Ele já tinha uma tigela, uma almofada fofinha e um pequeno saco com ração estava na cozinha, sobre o armário.

Quando Sasuke ligou a luz do cômodo para ver se o encontrava por lá, percebeu que era justamente sobre o armário que este se encontrava. Só podia estar tentando comer por conta própria.

— Custa esperar eu chegar? - perguntou, indo até o armário tirar o bichano lá de cima.

No entanto, o gato se desesperou quando viu Sasuke erguer os braços e deu um pulo, querendo se safar do toque do Uchiha, fazendo uma panela escorregar e cair bem no rosto do moreno. O estrondo ecoou pela cozinha inteira, enquanto o animal descia do armário e se afastava. Sasuke colocou as duas mãos na boca, sentindo uma dor infernal e correu para o banheiro outra vez.

Tirou as mãos da frente e abriu a boca devagar, vendo que o dente da frente tinha um pequeno pedaço quebrado.

— Só pode ser brincadeira - Bufou, irritado - Hoje é o dia de foder com o Uchiha. Só pode ser.

Passou os dedos pelo dente quebrado, soltando um murmúrio de dor e foi até o quarto, pegar o celular. Voltou a cozinha, determinado a ignorar o gato antes de jogá-lo pela janela e abriu o congelador, pegando algumas pedras de gelo. Colocou-os num pano de prato e levou a boca, tentando aliviar a dor e evitar que inchasse. Procurou o número do seu dentista, kakashi, nos contatos e esperou até que ele atendesse. No entanto, ele só atendeu quando Sasuke o ligou uma segunda vez.

— Sasuke? - a voz do homem soou do outro lado da linha - Por que está me ligando sábado a noite?

— Eu quebrei o dente. Você pode me atender? Vai ser rápido.

— Eu gostaria, mas não vai dar. Eu estou fora da cidade.

— Como assim “fora da cidade”?

— Eu também preciso de férias, sabia? Aquela coisa de leis trabalhistas e tal.

— O que eu faço?

— Não sei. Amanhã é domingo, vai ser difícil achar alguém marcando consultas. Eu sinto muito. Podemos ver isso quando eu voltar.

— E quando você volta?

— Daqui umas duas semanas.

— Kakashi, meu dente da frente está quebrado. Não dá pra esperar duas semanas.

— Então boa sorte para encontrar alguém que possa te ajudar. Preciso desligar. Boa noite.

— Espera…

Sasuke foi cortado pelo som da linha interrompida e bufou outra vez. Ainda com o gelo sobre a boca, ele foi novamente até o quarto, pensando no que fazer. Tirou a blusa e a calça que havia usado do chão, tinha que colocá-las para lavar. Sacudiu as duas peças e viu um pedaço de papel voar do bolso da calça.

Abaixou-se, pegando o cartão com o nome e o número de Naruto, lembrando-se imediatamente do que haviam conversado. Ele era odontologista, mas duvidava que estivesse em serviço, visto que estavam bebendo menos de meia hora atrás. Naquele momento, Sasuke percebeu que fazia sentido ele trabalhar com saúde bucal. Não era sempre que via um sorriso como o dele. Se bem que aquela expressão animada não tinha a ver só com o dentes branquinhos a mostra. O rosto dele inteiro era divertido, os olhos azuis brilhantes, o cabelo loiro ligeiramente bagunçado, as marcas nas bochechas proeminentes pelo riso.

Minha nossa, o que estava pensando?

Ele estava dando em cima dele descaradamente naquele pub. Mas ele tinha um cartão e era dentista. E, só talvez, pudesse recorrer a ele.

Passou o gelo pelos lábios mais lentamente e discou o número comum, mas apagou logo depois. Ele não estava no consultório, o ideal seria chamar pela linha de emergência. Discou rapidamente, antes de perder a coragem e deixou que chamasse uma, duas, três vezes, até que alguém atendeu.

Naruto encontrava-se nu, deitado sobre o sofá da sala. Roupas espalhadas pelo chão, a cabeça jogada para trás e as mãos seguravam os cabelos da loira de forma possessiva. Ela o chupava como se sua vida dependesse disso. E se o loiro não gostasse das coisas meio brutas diria para ela ir com mais calma. Mas ele estava gostando. Mulheres traídas a procura de vingança não brincavam em serviço, a loira sabia brincar com a língua. E estava o levando ao céus, mas ele não iria chegar ao seu ápice assim, ah não. Ele tinha muito planos para aquela noite que começou de forma frustrada. Planos esses que foram interrompidos pelo som da linha de emergência tocando no celular que se encontrava jogado no chão.

Só pode ser brincadeira, pensou tentando ignorar o som.

— Naru? Não vai atender? - A loira parou o que fazia e lambeu os lábios de forma sexy.

— Nada de nomes, Luv, você sabe as regras - Piscou para a loura que concordou com a cabeça - Eu preciso atender, é uma linha de emergência.- Correu até o celular. - Doutor Uzumaki.

— Ah, oi - Sasuke disse, tentando afastar um pouco o gelo da boca - Aqui é Uchiha Sasuke. Você está ocupado? - Fechou os olhos, amaldiçoando-se pelo modo como estava falando com ele, como se nada tivesse acontecido mais cedo, mas precisava tentar.

— Uchiha? Não lembro - Tentou brincar - Esteve no hospital mais cedo senhor Uchiha? - Abafou o riso. Iria se vingar do fora. Embora achasse que o moreno demoraria mais do que umas horas pra ir atrás de si.

Sasuke soltou a respiração que segurava, agora um pouco irritado, além de receoso.

— Nos encontramos no bar - revirou os olhos - Ou não se lembra daquele papo de faróis?

— Oh, é claro, o moreno perigoso. Como pude me esquecer? - Sentou-se no sofá ao lado da loira que o aguardava, e que começou a beijá-lo no pescoço - Mudou de idéia, senhor Uchiha? Receio que se quiser algo comigo esta noite terá que me dividir.

A voz do loiro estava tão rouca e provocativa, que Sasuke sentiu o rosto corar. Limpou a garganta antes de responder.

— Não mudei de ideia, Uzumaki. Eu tive um problema com meu dente e meu dentista está fora da cidade. Sei que é sábado a noite e que você deve… Estar ocupado. Eu só queria saber se existe a possibilidade de você me ajudar com isso.

Desliga esse celular raposinha. Ainda não terminamos - A loira agora descia a mão até seu membro e enquanto ouvia a voz do moreno e sentia aquele toque, Naruto desejou que fosse ele ali.

— Só um momento - Disse para o Uchiha, tapando o microfone do celular numa tentativa de fazê-lo não ouvir. - Sinto muito gatinha, mas não vamos poder terminar isso hoje. Vou ter que sair, você pode tomar um banho se quiser, é só deixar a chave embaixo do vaso ali fora. - Disse se levantando e caçando as roupas pelo chão. - Senhor Uchiha? Pode me encontrar em frente a clínica? Tem o endereço?

— Sim, está no cartão - Sasuke andou pela casa até chegar novamente ao quarto - Obrigado. De verdade.

Sasuke sabia que ele estava com alguém, mas, ainda assim, ele decidiu encontrá-lo. Sacrificar uma noite de sábado regada a sexo pra consertar o dente de alguém, ainda mais alguém que o rejeitou com tanta grosseria, não era algo que qualquer um faria e talvez isso o tenha feito gostar um pouco mais de Naruto. Só um pouco.

O loiro seguiu de carro até a clínica, estacionando o carro logo em frente, havia um certo movimento na rua, já que o estabelecimento ficava perto de alguns bares. E era sábado a noite. Se ele não fosse tão feliz na sua profissão jamais deixaria uma loira gostosa, sedenta e nua na sua casa para arrumar um dente. Mas nesse caso em especial, não era apenas um dente. Era o dente do moreno mais gostoso da cidade. E Naruto não podia deixar a chance de flertar com o moreno passar. Havia meses que queria se enterrar nele. Ou talvez ser preenchido por ele. Ou talvez os dois. Afastou esses pensamentos, por hora ele tinha que ser apenas o Doutor Uzumaki, dentista.

Notou que Sasuke ainda não havia chegado e decidiu abrir a porta e deixar tudo pronto. Enviando uma mensagem de texto para moreno, avisando que a porta estava aberta. Então se sentou e esperou.

Sasuke ajeitou a jaqueta escura que usava antes de entrar no lugar e bater a porta da sala. Estava inquieto, mas não sabia dizer ao certo o motivo.

— Entre, estou aqui. - Respondeu ao ouvir as batidas na porta.

O Uchiha empurrou-a devagar, vendo o loiro sentado, ainda exibindo um sorriso assim que o viu. Acabou deixando um dos cantos da boca se erguer também.

— Oi, desculpe. Obrigado por vir - entrou de uma vez e fechou a porta atrás de si - Não era minha intenção estragar sua noite.

— Não tem problema, é uma linha de emergência, é pra isso que ela serve. - Se aproximou indicando a cadeira para que o Uchiha se sentasse - Me diga o que aconteceu? Como conseguiu quebrar o dente em menos de duas horas?

— Meu gato me jogou uma panela. Bem na boca - passou os dedos outra vez pelos lábios ainda um pouco sensíveis.

— Ele é algum tipo de gato ninja? - Quis descontrair a tensão que havia se formado na sala, colocou a máscara e pediu para que o moreno abrisse a boca.

— Ele é um gato assassino, isso sim - Obedeceu - Olha o estrago - tentou dizer, mas já com a boca aberta, não se entendia muito bem o que ele falava.

— Muito bem, vamos lá.

Naruto parou de falar, trocando o habitual semblante divertido por um mais sério e profissional. Não estava tão feio quando o Uchiha achava. Ele já havia visto estragos muito piores. Então não demorou nem dez minutos para terminar.

— Prontinho, pode enxaguar. Use isso - Entregou um copinho de água para o moreno. - Você tem belos dentes. - Ele pareceria um maluco se dissesse que ao ver o dentes perfeitos do moreno se sentiu ainda mais atraído por ele?

Sasuke cuspiu a água.

— Você também - deixou escapar, sentindo que estava prestes a corar - Quer dizer, claro né. Você é dentista. Então deve cuidar bem deles e tudo mais… - Cala a boca, por favor.

Naruto arqueou uma das sobrancelhas ao perceber o rubor na face do moreno. Ora ora, parece que temos uma lady tímida por aqui.

— Obrigado, então, você deve voltar daqui uns três meses para vermos se precisará de alguns retoques. Ou você pode falar com o seu dentista. Você quem decide.

— Certo - Sasuke se levantou, colocando a mão no bolso da calça - Quanto te devo?

— Hmm - Naruto colocou a mão no queixo, pensativo. - Que tal uma bebida? - Tentou a sorte, já havia levado um fora, o que era um peido pra quem estava cagado? - Tem um barzinho retro do outro lado da rua, muito legal.

Sasuke estava com a recusa na ponta da língua. Era instintivo. Mas, fala sério, o cara estava na clínica num sábado a noite, tinha recusado uma transa e agora, tudo que pedia era pra beber com ele… Como poderia negar, ainda mais quando foi devidamente atendido mesmo depois de ser tão grosseiro?

— Certo - deu um meio sorriso - Ainda é cedo, né?

Naruto sorriu vitorioso, se não fosse muito infantil ele daria um pulinho e faria um YES! com o braço. Mas se conteve. Agora que as coisas com o Uchiha estavam indo bem, não podia estragar tudo.

— É ali, disse apontando para o bar. O meu carro está aqui. E o seu? Podemos deixa-los no estacionamento da clínica e dividimos um táxi se bebermos muito.

— Eu estou sem carro essa semana, mas estou de acordo. As bebidas são por minha conta.

— Certo, então vamos.

Não demorou muito até que tomassem uma mesa e começassem a beber. Dessa vez, Sasuke não estava mais tão retraído, nem tão fechado em relação a Naruto. A conversa começou a fluir de maneira tranquila, passando pela escolha de faculdade, até as amizades - que no caso de Sasuke, se resumia à Sakura - e, de repente, alguns sorrisos mais espontâneos eram dados pelo moreno enquanto ouvia as besteiras que o loiro dizia.

— Você realmente sempre tem uma frase de duplo sentido na ponta da língua, né?

— É um dom! - deu de ombros - Te incomoda o fato de um cara te achar atraente?

— Para ser sincero - bebeu mais um gole de cerveja - Nesse momento, não.

— Então eu posso ter esperanças? - Bebeu um shot de tequila, empurrando um martelinho na direção do moreno - De que podemos ter alguma coisa?

— Vai com calma - Sasuke pediu, olhando em direção a mesa e sorvendo a tequila também, mas não conseguiu deixar de sorrir.

Aliás, estava sorrindo demais naquela noite. Só podia ser efeito do álcool.

— Tudo bem, eu posso ir com calma - lançou um sorriso malicioso para o Uchiha - Com toda a calma que você quiser. Bem devagar. - Lambeu os lábios.

Sasuke acompanhou o trajeto que a língua de Naruto fazia sobre a própria boca e não pôde se conter em morder o lábio inferior, segurando uma risada que nada tinha a ver com humor. Se o loiro tivesse perguntado naquele momento se ele já havia pensado em beijar um cara, a resposta seria diferente de algumas horas atrás, por mais desesperador que isso pudesse parecer. Puxou a manga da jaqueta, olhando o horário. Já era tarde e ele nem sabia quando o tempo tinha passado tão rápido.

— Acho que já deu a minha hora.

— Tudo bem, já está tarde mesmo. - Assim que o loiro levantou-se sentiu os efeitos na tequila e teve que se segurar na mesa. - Acho que bebemos um pouco demais

— Ah, que isso - Sasuke estava pronto para desmentí-lo, quando sentiu o equilíbrio afetado também - Tudo bem, acho que você tem razão.

— Então vamos, só vou até o carro pegar minha mochila e podemos pegar um táxi.

— Eu te acompanho.

Sasuke foi até o balcão, apontando a mesa e o número desta, pagando a conta e encontrando o loiro na porta do estabelecimento.

— Vamos.

Naruto seguiu meio cambaleando até seu carro, por sorte já era madrugada e não tinha um movimento intenso de carros, porque ele atravessou sem olhar para os lados. Quando chegou em frente a porta do motorista começou a procurar pela chave no bolso da calça. Assim que achou abriu o carro. Por sorte a trava era elétrica, porque ele não iria achar o buraco da fechadura. Mas ele com toda certeza conseguiria achará outro buraco. Riu ao lembrar do Uchiha lhe dizendo sobre ter respostas de duplo sentido. Inclinou-se sobre o banco da frente para pegar a mochila no banco traseiro e virou-se para o moreno.

— Pronto, era só isso. Vamos chamar o táxi pelo aplicativo?

Em algum momento, aquilo tinha virado covardia. Afinal, porque ele precisava se empinar daquele jeito para pegar a mochila? E por que precisava sorrir desse jeito agora? Sasuke não conseguia responder. Em vez disso, empurrou o Uzumaki contra a porta do carro, fechando-a com força enquanto segurava os dois lados de seu rosto e lhe roubava um beijo. O gosto do álcool era forte, mas tinha algo… Algo extremamente delicioso e sensual naqueles lábios e logo ele descobriu que a língua era ainda melhor.

Naruto não sabia exatamente como, mas ele estava nesse momento sendo prensado contra o próprio carro e sendo beijado de forma urgente. Não teve tempo de reagir e quando deu por si já sentia a língua do Uchiha se enroscando com a sua. Era quente e macia, tinha gosto de tequila e cerveja, com um toque de flúor refrescante. Ele queria pará-lo e dizer-lhe que ele não beijava, mas estava tão gostoso, que ao invés de empurrá-lo ele levou suas mãos até a nuca do moreno e lhe puxou os cabelos. recebendo um gemido gostoso incentivando-o a continuar.

Quando a consciência lhe bateu, ele se afastou e tentou conversar com o Uchiha.

— Sas- que, n-não é a-assim. E-eu te-tenho re-gr-gras.

— Hum - murmurou o moreno, mordendo o lábio dele outra vez, invadindo sua blusa com a mão e alisando sua barriga - Regras, é?

— Regra número um - Tentava dizer o loiro enquanto se sentia ser explorado pelas mãos ágeis do outro - Nada de beijos.

Sasuke pareceu não dar ouvidos, beijando-o outra vez.

— Você fala muito - apertou a cintura do loiro - Quebrar as regras de vez em quando não faz mal. Então fica quieto - Roubou sua boca novamente.

Naruto deixou-se ser beijado, talvez não faria mal quebrar as regras apenas uma vez. Afinal era a primeira vez do Uchiha com um homem. Teria de ser especial. Enquanto sentia a língua percorrer sua boca, só conseguia pensar que devia, definitivamente, agradecer aquele gato.

---------------

JA NEE

26. Februar 2018 22:03:10 3 Bericht Einbetten 7
Lesen Sie das nächste Kapitel Não sei se te agradeço ou se te jogo da janela

Kommentiere etwas

Post!
Isis Isis
Olha eu aqui relendo o hino! Nossa, como os detalhes escapam da mente ne? TIPO O FATO DE O SASORI TRAIR DEIDARA COM SAKURA! Ai meu Sasuke hetero de Taubaté <3
30. Mai 2018 06:57:28
AB Ana Banana
Sasuke perdeu sua heterosexualidade muito rápido rs talvez pq ela nunca tenha existido
27. Februar 2018 13:25:42

  • Lory Cake Lory Cake
    o alerta gay não falha, já dizia o naruto auihaeklfmaelkmfe 27. Februar 2018 16:38:40
~

Hast Du Spaß beim Lesen?

Hey! Es gibt noch 7 Übrige Kapitel dieser Story.
Um weiterzulesen, registriere dich bitte oder logge dich ein. Gratis!