Shape of You Follow einer Story

biialightwoodpotter B. L. P.

Naruto gosta de festas e as festas gostam de Naruto, mas às vezes é bom mudar a rota e acabar no lugar que menos gosta só para ter um momento com o amigos. E também arranjar alguém para terminar a noite. E Naruto achou com quem beber, festejar e terminar a noite. Ele só não esperava querer passar o resto das suas noites com aquela pessoa. (06/03/2017) Imagem: Snow124 https://www.flickr.com/photos/45305087@N02/30519352501


Fan-Fiction Nur für über 18-Jährige.

#universo-alternativo #au #sasunarusasu #naruto-sasuke #naruto #yaoi
14
7.1k ABRUFE
Abgeschlossen
Lesezeit
AA Teilen

I'm in love with your body.

Fazia quase dois meses que Naruto estava na seca. Nunca tinha namorado sério e jamais passava de duas ou três noites com seus parceiros, sendo eles homens ou mulheres.

Com vinte anos cursava o segundo ano de arquitetura na Universidade de Cambridge. Tinha vindo de uma cidadezinha do interior e seus pais nunca tiveram muito dinheiro – não ao ponto de poder o custear na cidade, muito menos a mensalidade – então tinha estudado muito para conseguir sua bolsa integral e agora trabalhava numa livraria para conseguir manter-se estável no apartamento que dividia com mais três amigos que tinha conhecido assim que chegou a cidade. E é claro, manter suas festas.

O loiro adorava participar de tudo que podia. Estar entre amigos e receber atenção, por isso a cada final de semana estava em um lugar diferente, o que era uma preocupação a mais para seu melhor amigo, Gaara, que tinha que ficar a procura do Uzumaki para tentar colocar algum juízo na cabeça oca dele. Era bem raro quando Naruto não saia, e isso só acontecia quando o ruivo conseguia o prender em casa para ajuda-lo com algum trabalho da faculdade, que ambos cursavam ou quando o dinheiro acabava.

No dia em questão, por exemplo, era um sábado e o Sabaku não tinha o deixado participar de uma confraternização do terceiro ano de direito na sexta para conseguir ajuda com uma planta que os dois deveriam estar fazendo juntos, mas que o ruivo já tinha um terço pronto. Eles tinham virado a noite e mesmo que o Uzumaki fosse um folgado, quando ajudava era de verdade e até o fim.

Concluíram que tudo estava bom, mas que na outra semana iriam revisar para deixar tudo perfeito e assim que Naruto viu as horas animou-se por inteiro.

— Yo, Gaara – ele chamou o amigo que coletava os lápis da mesa onde trabalhavam – Ainda são sete horas... Vamos sair?

— Hm... Para onde? – perguntou o ruivo.

— Não sei, a gente se arruma e vai pro primeiro lugar que der na telha – Naruto se ajeitou melhor na cadeira – Qualquer coisa depois a gente vai para outro lugar.

— Para outro lugar aonde, idiotas? – a voz de Shikamaru se fez presente na sala onde estavam.

Shikamaru era um dos três que moravam com Naruto. Obviamente Gaara era o segundo e o terceiro era Rock Lee. Nara cursava ciência da computação, enquanto Lee cursava engenharia.

— Sair – o loiro respondeu – Quer ir junto? Lee provavelmente vai também.

— Claro – o moreno deu de ombros – Por que não?

Então eles esperaram o último amigo chegar enquanto começavam a se arrumar e como esperado, Rock Lee concordou em ir, pois segundo ele “precisava tomar umas”.

Já prontos e bem arrumados começou-se a discussão para onde eles deveriam ir.

— Eu prefiro um bar – disse Gaara, como sempre o mais reservado.

— Mas eu queria dançar – disse Lee – E vocês sabem como é raro eu querer dançar, mas é que hoje eu me estressei tanto que eu quero dançar.

— É verdade, Lee nunca dança – concordou Naruto com as mãos na cintura.

— Então vamos numa balada – concluiu Nara e o loiro e o moreno alegraram-se, enquanto Sabaku rolava os olhos.

— Aproveita e pega alguém lá Gaara – Naruto brincou, bagunçando os fios ruivos do amigo que lhe estapeou a mão.

Em menos de dez minutos, com o carro de Lee, eles chegaram ao seu destino, um pequeno club numa esquina movimentada da cidade, o que fez o motorista dos amigos xingar várias vezes por não achar uma vaga. Quando finalmente estacionados, eles saíram do carro e se dirigiram ao local.

O The Q Club era um lugar já bem conhecido pelo grupo de amigos e sempre que podiam estavam lá. Era um lugar barato, mas preferível ir a grupo, como a maioria dos clubes noturnos. O espaço era amplo, porém um tanto subterrâneo o que fazia Naruto se sentir levemente aflito até o momento em que ficava bêbado demais para se importar até com qual era o seu nome. No dia em questão ele pretendia voltar daquele mesmo modo para casa.

A música era alta e até o coração do Uzumaki tremia com a vibração do som, não que ele não estivesse menos que acostumado com aquilo. Foi até o bar e pediu o primeiro trio de bebidas – já que Lee nunca bebia por ser o motorista e por que não se importava com aquilo – e já trouxe para onde os amigos estavam.

Como sempre, Gaara encostava-se a algum lugar e por ali ficava o resto da noite, enquanto Naruto, Lee e Shikamaru iam como o ruivo gostava de pensar “rebolar aquelas bundas magras no meio daquele monte de gente estranha”. Porém, em menos de meia hora, o Uzumaki estava de volta ao seu lado.

— Que foi? – perguntou Gaara ao amigo.

— Eu não sei – o loiro respondeu – Não estou me sentindo bem aqui.

— É só beber mais três garrafas de cerveja que a sua claustrofobia passa Naruto – Sabaku o lembrou.

— Não é a minha claustrofobia, idiota – ele respondeu – Já percebeu que ninguém aqui parece ligar muito para a vida?

— Você é assim Naruto – o outro respondeu juntando as sobrancelhas claríssimas.

— Eu sei! – ele exclamou – Mas vendo essas pessoas aqui, hoje, que são iguais a mim, está me dando uma sensação ruim.

— O que deu em você? – perguntou o ruivo intrigado – Já bebeu demais e mudou de bêbado alegre para bêbado filosófico?

— Não. Essa é a minha segunda ainda – levantou a garrafa que tinha na mão para demonstração – Sabe que sou mais forte que isso. Eu só... Só quero ir para um bar.

— O que? – Gaara perguntou confuso.

— Um bar. Como você tinha dito. Eu quero ir para um bar – ele pôs a garrafa pela metade em uma das mesas aleatórias que ali tinha – As pessoas de lá são mais calmas. Eu quero ir para lá.

— Okay então – ele deu de ombros concordando e foi chamar os outros amigos, deixando o loiro encafifado para trás.

— Ah pelo amor de Deus! – Lee exclamou.

Já dentro do carro do homem, Naruto disse para onde ele queria ir.

— Por que não falou que queria ir ao Lola Lo antes? – o moreno exclamou alto mais uma vez – Teria me poupado gasolina!

— Desculpa – o Uzumaki pediu, mas internamente rindo da cena que o amigo fazia.

— Ia me poupar muita gasolina. TODA a gasolina!

Okay, Rock Lee não estava errado. Pensou Naruto.

O Lola Lo era um bar também bem frequentado pelos amigos e ficava a dois minutos de a pé do apartamento deles, o que era gratificante para Lee já que assim podia beber.

O moreno então deixou seu carro na garagem do prédio e eles foram caminhando para o bar. Chegando então eles nem pegaram uma mesa e sentados no balcão mesmo pediram suas bebidas. Uma musica tocava ao fundo, que Naruto não conhecia, mas sabia ser classificada como alternativa. Eles conversavam calmamente e o loiro sentia-se bem melhor naquele ambiente agora, o que era a primeira vez, pois sempre achava bares um tanto quanto mais entediantes.

O lugar era cheio de mesinhas com bancos e vários grupos de amigos, assim como eles estavam ali. Tinha várias pessoas em pé também e do lado de fora do bar, mas eram pessoas que estavam ali apenas para conversar e beber, sem dança ou música alta.

E como influenciado por essa massa, Naruto fazia o mesmo com os amigos, relembrando e contando historias e bebendo. Tinham feito até amizade com o barman da noite.

O loiro não sabia quanto tempo tinha se passado e não ligava, mas por algum instinto, resolveu levantar a cabeça e olhar para fora do local, e acabou encontrando uma bela vista.

Era um grupo de cinco. Três meninas e dois caras. Todos aparentemente com a mesma idade, menos a menina morena, que tinha a face mais jovial. Tinham cara desses jovens alternativos que andam sempre bem vestidos e fumam. E sim, os dois caras estavam fumando naquele momento. As duas meninas com caras de mais velhas aparentavam estar bem animadas. Uma tão loira que era quase platinada, e a outra tinha os cabelos pintados de rosa. Tinham corpos esculturais como de modelos que Naruto via na televisão e eram extremamente bonitas. A morena mais nova não ficava para trás. Tinha os cabelos negros até a cintura, e mesmo mais baixa que as outras seu corpo era lindo. Ela parecia mais tímida também, pelo jeito que se comportava.

Os dois caras tinham jeito de serem sérios. Eram do mesmo tamanho, mas um tinha os cabelos longos iguais ao da menina morena e observando um pouco mais, Naruto percebeu que os olhos também. Deviam ser irmãos. O Uzumaki também refletiu que ele não ficaria tão bonito quanto aquele moreno se deixasse o cabelo crescer.

Já o último, Naruto não sabia nem descrever. Todo aquele grupo era lindo, mas aquele cara era bonito ao extremo. Devia ser proibido ter beleza de deuses. Ele era magro em comparação ao loiro, mas isso não o fazia menos atraente. Tinha olhos tão negros quanto à noite e seus cabelos tinham a mesma inspiração. Eram curtos e levemente arrepiados com uma franja quase no olho, que o Uzumaki riu lembrando-se da época dos emos. Mas parecia que tudo aquilo era uma perfeita combinação para poder fazer aquele cara perfeito.

— Ei, idiota – Gaara o chamou.

— Fala – Naruto desviou o olhar do grupo para o amigo.

— Já encontrou sua presa é? – ele riu de lado.

— Presa? – o loiro perguntou levemente avoado – Ah, não. Eu só estava observando o ambiente.

— Se o ambiente for um cara moreno que está entrando no bar, então que belo ambiente, não? – o ruivo abriu mais um pouco o sorriso.

Naruto virou a cabeça rapidamente para a porta de novo e viu do que o amigo falava.

Os cinco entravam no bar e já se dirigiam para uma mesa mais ao fundo, um tanto longe do grupo de estudantes, o que decepcionou um pouco o loiro que queria continuar observando o moreno de cabelos curtos, mas daria muito na cara se ficasse olhando para trás.

— Vá lá falar com ele – Nara disse, sem nem ao menos olhar para o amigo.

— Falar com ele? – o Uzumaki olhou confuso para os três amigos – Eu não posso. Ele está com mais gente.

— E algum dia isso foi problema para você? – Lee brincou.

— Bem – ele começou – Eu nunca abordei ninguém num bar como esse. Nas baladas da vida é mais fácil por que mesmo se a pessoa está com um grupo maior, eles não tão nem ai e muitas vezes não vão nem perceber direito. E se eu for até lá agora, os amigos deles vão me julgar com o olhar.

— Repito: isso um dia foi problema para você? – Lee disse mais uma vez.

— Bem, eu não gosto de olhares ruins em cima de mim, mesmo não parecendo ligar nunca – o loiro encolheu os ombros.

— Eu ainda acho que você devia ir até lá – Shikamaru falou, terminando de beber sua cerveja e já pedindo outra.

— Eu também acho – Gaara disse e o Rock Lee concordou com a cabeça.

— Vocês não podem me obrigar a ir falar com alguém – Naruto cruzou os braços e fez bico – Mesmo ele sendo lindo para caralho – completou.

— Se gosta, é só tentar – o arquiteto ouviu uma voz baixa e rouca falar atrás de si e num impulso, virou-se para ver quem era e ficou surpreso.

O moreno que Naruto tinha gostado e ficara olhando agora estava ali, bem na sua frente e tinha dito que era para ele... O que?

— Ahn... – ele abriu a boca, mas não sabia o que falar.

— Sasuke Uchiha – o moreno estendeu-lhe a mão e Naruto a pegou, cumprimentando-o.

— Na-Naruto Uzumaki – respondeu totalmente corado.

— Então – o Uchiha começou e tudo que o loiro podia pensar era em como aquela voz era maravilhosa – Está com medo de ir flertar?

“Flertar”, pensou o loiro, “Que pessoa ainda fala isso? Esse cara é muito engraçado.”, riu.

— Ahn... Bem, mais ou menos – ele deu de ombros.

— Você não tem cara de tímido – ele apoiou os cotovelos na bancada enquanto ainda olhava o loiro.

— E não sou – Naruto sorriu amarelo.

— Então não vejo o porquê está assim – o moreno sorriu de lado – Como ela é?

— Ela? Não, não – o outro sorriu constrangido – É um cara.

A única reação de Sasuke foi levantar ambas as sobrancelhas o que deixou Naruto preocupado. Seria ele hétero?

— O que? – tentou parecer divertido – Não é homofóbico, é?

— Oh, não – ele riu pelo nariz, negando com a cabeça – Muito pelo contrário.

— Como? – perguntou o loiro.

— Gosto de homens também – disse simplesmente.

Naruto sentiu seu coração dar um pulo gigantesco no seu peito e tudo que pode fazer foi sorrir e receber outro sorriso do moreno, como se ele tivesse lido sua mente.




Já fazia algumas horas que aqueles dois conversavam sozinhos numa mesa bem mais afastada que o grupo de Sasuke tinha pegado. Essa era em uma área aberta que o bar possuía, como um jardim de inverno.

Já tinham conversado sobre tudo o possível como onde moravam ou de onde eram as famílias. Naruto ficou um tanto surpreso quando Sasuke disse que estudava em Oxford e tinha vindo naquele final de semana para Cambridge para ver a família que tinha se mudado do Japão para a Inglaterra quando o irmão mais velho dele tinha entrado em Direito. Itachi tinha se formado há três anos e Sasuke tinha ido para o sexto e último, o que o fazia três anos mais velho que o loiro.

Naruto começou a falar sobre sua faculdade com tanto entusiasmo que acabou chegando ao assunto festas e por fim em algumas que ele tinha entrado de penetra. Só depois de alguns minutos ele parou para pensar que para uma primeira conversa, não deveria falar mais que os cotovelos e muito menos sobre as coisas erradas que ele já tinha feito. Bela primeira impressão, idiota! Pensou.

— Desculpe – ele disse e o moreno arqueou uma sobrancelha – Eu não deveria estar tagarelando desse jeito.

— Não – Sasuke sorriu de lado – Eu prefiro. Já que eu mesmo não sou uma pessoa de muitas palavras, pelo menos alguém tem que ser – ele bebeu mais um pouco da cerveja – E eu também prefiro ouvir as pessoas. Principalmente pessoas com uma voz linda igual a sua.

O Uzumaki corou na hora. Além daquele maldito sorrisinho do Uchiha, ele ainda lhe dava um olhar extremamente sensual, que arrepiava todo o corpo do loiro.

— Você deve estar me achando louco – tentou disfarçar o efeito que o moreno tinha sobre ele mudando de assunto – Ou ao menos idiota.

— Talvez – o sorrisinho aumentou, mas veio com uma umedecida de lábios e uma leva mordida no lábio inferior.

Okay, agora era concreto: o Uchiha queria enlouquece-lo.

— Quer invadir uma festa? – perguntou de repente, o que pegou Sasuke de surpresa.

— O que? – disse confuso.

— Perguntei se quer invadir uma festa – o loiro abriu um sorriso divertido e com ares sacanas.

— Que festa? – o moreno entrou na brincadeira.

— Sei de um aniversário que ‘tá rolando de uma menina de engenharia – Naruto disse enquanto brincava com o gargalo da garrafa de cerveja – Uma riquinha esnobe que só convidou os amiguinhos idiotas dela.

— Quanto tempo leva pra chegar lá? – o moreno perguntou e recebeu um grande sorriso de Naruto.

Eles se levantaram e cada um foi para a mesa dos amigos.

— Ei – o loiro chamou baixinho os outros três, que logo o olharam – Eu vou sair com o Sasuke.

— O que? – Lee exclamou – Como assim você vai sair com aquele cara? E vai deixar a gente aqui?

— Aposto que depois vocês vão para a cama – Gaara disse nada surpreso pelo que o amigo estava fazendo.

— Bem, eu espero – o loiro riu – Então é por isso que vocês tem que ir para o apartamento do Sai.

— Que? – Lee exclamou mais alto ainda – A gente tem que sair do nosso apartamento para você poder ir foder um estranho?

— Sim – ele concordou simplesmente.

— Naruto... – o moreno lhe lançou um olhar cortante.

— Você não espera que eu vá comer o Uchiha na casa dele, espera? – o loiro baixou mais a voz – Não quando ele está com toda a família lá, esperando-o para terem um lindo café da manhã juntos!

— Oh... – fez Lee, entendendo tudo.

— Agora – começou Naruto – Vocês aproveitem que o Sai ‘tava mesmo fazendo uma festa e durmam lá.

— E por que a gente já não foi para lá? – Gaara perguntou olhando bravo para o amigo.

— Eu ‘tô brigado com o Sai – deu de ombros – Coisa boba, mas era melhor eu não ter aparecido hoje mesmo. Agora, vão direto daqui pra lá. Não quero ver a cara de vocês até amanhã à tarde.

E virou as costas para os três, mas não antes de ouvir Shikamaru dizer:

— Pelo menos use camisinha.




Naruto deu graças quando o moreno disse que tinha uma moto, por que não estava a fim de ir para a festa da Temari de metrô.

Assim que chegaram à casa da garota, num bairro bem rico da cidade, Naruto começou a rondar a casa, procurando um lugar para conseguirem pular o muro que cercava a casa. Obviamente que em um dia normal, eles jamais conseguiriam entrar ali, com todas as câmeras e alarmes, mas como uma festa acontecia ninguém estaria se preocupando com as câmeras, e muito menos com um alarme. Coisa que provavelmente a aniversariante tinha desligado, e mesmo se não, ela não se importaria muito se começassem a tocar, imaginando que era mais alguém aprontando. Pelo menos era o que Naruto acreditava.

— Aqui – ele apontou para uma parte do muro bem aleatória, na visão do moreno – Vamos pular aqui.

— Como? – perguntou Sasuke, já não confiando mais no outro.

Neji ainda tinha perguntado se ele realmente era confiável e tinha dito que sim. Estava começando a se arrepender.

— Você verá – riu – Me da pé.

— Que? – o Uchiha perguntou mais uma vez, totalmente perdido.

— Qual é – Naruto colocou as mãos na cintura – Nunca deu pezinho para ninguém na vida?

— Não – Sasuke respondeu.

— Não teve infância? – o loiro perguntou, fingindo descrença.

— Tive – ele se aproximou mais do mais novo – Só nunca fui um ladrãozinho.

— Ei! – o outro exclamou ofendido.

— Anda logo – Sasuke disse juntando as mãos.

— Nunca deu pezinho é? – o Uzumaki riu enquanto subia nas mãos do outro e agarrava no muro, sentando-se assim para depois puxar o mais velho.

— Não nunca dei – respondeu colocando toda sua força no braço e dando impulso para conseguir subir junto.

— Nunca deu é? – Naruto sorriu malicioso para o Uchiha, que entendeu a frase de duplo sentido.

— Bem... Talvez – sorriu de lado, do jeito que desestabilizava o Uzumaki – Mas já me deram várias vezes.

E assim pulou até a grama dos fundos da casa de Temari, tentando ao máximo não se machucar. Naruto veio logo atrás, ainda um pouco tonto com o charme do moreno, mas respirou fundo e foi logo andando na frente, até a porta de vidro que ali estava.

— Deve estar acontecendo lá na frente, já que é onde fica a piscina – disse e abriu a porta e já entrando.

O moreno o seguiu e a cada passo a musica ficava ainda mais alta.

— Puta merda – Naruto disse e estancou, fazendo o Uchiha parar também.

— O que foi? – ele perguntou levemente preocupado.

— Eu esqueci que basicamente qualquer pessoa da festa que me ver vai saber quem eu sou e a gente vai ‘tá ferrado – ele passou a mão no cabelo.

— Ótimo – o moreno disse ironicamente.

— Eu preciso de alguma coisa para tentar me disfarçar – ele olhou em volta, afobado.

— Tem esse boné aqui – Sasuke pegou um boné que estava largado no banco da cozinha, junto de várias outras coisas.

- Bem, deve servir – Naruto pegou da mão do outro e colocou na cabeça, tentando esconder ao máximo os cabelos loiros – E então?

— Não mudou muita coisa – o Uchiha confirmou.

— Melhor que nada – deu de ombros e continuaram a atravessar a cozinha.

Continuaram a andar lentamente até que Sasuke disse:

— Você então é odiado?

— Odiado é uma palavra muito forte, – o loiro sorriu – As pessoas apenas sabem que eu sou.

— Então é famoso? – continuou com um leve sarcasmo.

— Se quer chamar assim – ele riu.

— Então me explique – o moreno parou com as mãos nos bolsos traseiros e esperou Naruto virar-se para si.

— Bem... Muitas pessoas sabem que eu sou – sorriu – Mas poucas me conhecem.

— E...? – insistiu.

— Temari é uma dessas poucas e... Não gosta muito da minha personalidade. O que acaba influenciando seus “amigos” – ele fez o gesto com as mãos – E também por que já coloquei o nome dela em algumas coisas ilegais – riu constrangido – E ela se ferrou feio. Mas enfim... Vamos logo.

Naruto deus as costas para o outro, que achou melhor não continuar com aquela conversa e apenas o seguiu.

Assim que chegaram a outra porta que dividia a cozinha da sala e a abriram, a música alta os atingiram completamente. Sasuke olhou em volta e se lembrou de como odiava aquele tipo de evento e que só estava ali pelo Uzumaki. Era bom ele o retribuir muito bem no final daquela noite.

Começaram a cortar caminho por entre aquele amontoado de pessoas até a parte da frente da casa onde parecia que tinha mais gente do que um metro quadrado realmente podia ocupar.

— Vem – Naruto o chamou e eles se dirigiram para a mesa das bebidas. Naruto fez Sasuke pegar-lhe uma mistura qualquer – e um tanto preocupante – que estava dentro de um garrafão, já que havia pessoas que lhe reconheceriam ali perto.

Com a volta do moreno, o Uzumaki resolveu o arrastar para o meio daquele monte de gente que dançava iguais minhocas para fora da terra, segundo Sasuke.

A música que tocava era bem desconhecida para o Uchiha, mas pelo visto Naruto a conhecia, pois até cantava. E cantava direcionando as palavras para si.

Your Body - Christina Aguileira

I came here tonight, to get you out of my mind, I'm gonna take what I find, oh oh yeah, so open the box— ele dizia junto ao ritmo da música e dançava um tanto... sensual? Se Sasuke podia dizer - Don't need no key, I'm unlocked, and I won't tell you to stop, oh oh, yeah...

Oh sim, se Sasuke tinha alguma dúvida de que iriam acabar aquela noite na cama, agora não tinha mais nenhuma.

Hey boy, I don't need to know where you've been, all I need to know is you in, no need for talkin'. Hey boy, so don't even tell me your name, all I need to know is whose place, and let's get walkin' — o Uchiha resolveu entrar na brincadeira e se aproximou do mais novo, colando os corpos e começando acompanhar o ritmo do garoto - All I wanna do is love your body, oh oh, tonight's your lucky night, I know you want it, oh oh... – Naruto virou-se de costas para o moreno e começou a rebolar perto da virilha dele, o que estava começando a deixar o mesmo animado.

It's true what you heard, I am a freak, I'm disturbed, so come on and give me your worst, oh oh yeah. We're moving faster then slow, if you don't know where to go, I'll finish off on my own, oh oh yeah — Sasuke virou o Uzumaki para si e o puxou, fazendo seus lábios se encostarem, mas sem ter o final esperado.

Naruto ficou levemente decepcionado, então disse:

— Sabe, acho que nós fazemos um bom par – sorriu, levando sua boca ao ouvido dele e depois colocando ambas as mãos na cintura do mais velho.

— Acha? – ele riu de lado, enquanto deixava-se levar pelo corpo do loiro.

— Acho bastante – falou aproximando-se do maxilar do moreno que apenas observava.

— Então cala a boca e me beija logo – Sasuke disse agarrando as mãos nos cabelos curtos da nuca do loiro, que ficavam isentos do boné e finalmente encontrando as bocas.

O beijo já começou afobado, repleto de desejo um pelo outro e cheio de várias outras intenções.

Os outros corpos que dançavam ao redor deles foi cada vez sendo menos percebido por eles, que se empenhavam a descobrir ainda mais o gosto e cada centímetro da boca do outro. As mãos agora passeavam pelos corpos, como se mapeassem para nunca mais esquecer e eles ficavam cada vez mais sem ar.

Assim que separaram as bocas, os olhares também se encontraram e se Naruto já estava excitado antes, ao ver os olhos de Sasuke avermelhados de desejo por si, tentou não arrancar as roupas dele ali mesmo e encostou a cabeça no ombro do mais velho, e sentiu seu perfume o que lhe deixou ainda mais com vontade.

Sasuke não estava melhor. Viu que os olhos azuis claros de Naruto estavam como um dia tempestuoso e sentiu um arrepio subir pelas costas. O arrepio só se intensificou quando sentiu o Uzumaki beijar-lhe o ombro e começar a subir pelo seu pescoço onde ele abriu os olhos ao sentir o loiro morder e sugar sua pele.

— Você não fez isso – ele disse sério.

— O que? – Naruto se fez de desentendido, mas com um sorriso que queria sair pelo canto da boca.

— Idiota – o Uchiha disse e puxou o mais novo para mais um beijo.

E enquanto eles se pegavam, a aniversariante passeava pela festa, sorrindo para todos, mesmo que mal soubesse o nome da metade. A popularidade dela era mais importante do que saber nomes, porém tinha um que ela sabia muito bem e que sempre que ouvia seu sangue se transformava em fogo. E foi quando ela viu aquela cabeleira loira reconhecível até nas noites mais escuras, saindo por de baixo de um boné e ela estagnou.

— Naruto? – sussurrou sem certeza, até os dois garotos separarem o beijo e ela ver aquelas marcas nas bochechas e os olhos azuis de longe – NARUTO! – ela gritou, agora totalmente irritava.

A música era alta, mas o grito de Temari fora mais. Tanto Naruto quanto Sasuke olharam na direção que a voz veio e o loiro arregalou os olhos assim que viu de quem a voz pertencia.

— Precisamos sair daqui – ele disse para Sasuke, já puxando-o pela mão entre a multidão com passos apressados.

— Por onde? – o outro perguntou lembrando-se da historia com a aniversariante que Naruto tinha contado e relacionando a menina como sendo a tal de Temari.

— Vamos pela frente mesmo – eles soltaram as mãos e saíram correndo, trombando com as pessoas e derrubando as bebidas.

— NARUTO SE EU TE PEGO VOCÊ TÁ MORTO! – eles ouviram a voz de Temari vindo pelas costas deles, mas antes que ela, ou melhor, algum dos amigos dela que também odiavam o garoto os alcançassem, eles saíram pelos portões que estavam abertos da casa dela.

Correram para a moto do moreno que a ligou numa rapidez ninja e saíram pela noite, deixando a menina com sangue nos olhos para trás.

Sasuke não conseguia ver o rosto de Naruto, mas ouvia a risada escandalosa atrás de si e riu de leve junto.

— Para onde vamos agora dobe? – perguntou, virando a cabeça um pouco para trás sem se distrair do trânsito.

— Minha casa – o loiro respondeu e Sasuke pode perceber o tom malicioso na voz do mais novo.

Guiado pelo Uzumaki, eles então chegaram na portaria do prédio e foi quase uma briga para que o porteiro deixasse o Uchiha subir, já que visitas não podiam entrar depois das onze. Com uma desculpa de que o moreno não tinha onde dormir naquela noite e uma leve chorada, a vitória deles foi estabelecida. Subiram pelas escadas da moradia e assim que chegaram no andar do loiro, Sasuke perguntou:

— Seus amigos estão aonde?

— Foram para uma festa na casa de outro amigo – Naruto respondeu brigando com os chaveiros e finalmente abrindo a porta.

O moreno não podia esperar nada mais do que bagunça. Obviamente que quatro caras morando juntos resultaria nisso – mesmo que Shikamaru tentasse ao máximo estabelecer ordem. Vários jogos, copos e embalagens de comidas estavam espalhados pela mesa de centro da pequena sala, bem como vários outros estavam na cozinha. Nada muito demais, que parecesse deixar sujo, apenas bagunçado. O imóvel não fedia, ao menos.

— Desculpe pela bagunça – o loiro disse sorrindo envergonhado, tentando reunir a maior parte das embalagens e copos com as mãos – Eu e Gaara estávamos fazendo um trabalho aqui hoje à tarde.

— Tudo bem – mentiu Sasuke. Para uma pessoa organizada ao extremo como ele, aquilo estava sendo a morte, mas tentou ignorar pensando no que o corpo de Naruto podia o proporcionar.

— Vem – o outro chamou – É melhor irmos para o meu quarto.

Cartada branca. Pensou o mais velho.

Naruto o guiou até seu quarto e assim que abriu a porta e acendeu a luz, Sasuke percebeu que o resto da casa era uma extensão do quarto do homem.

Não havia comida espalhada por ali – pelo menos –, mas várias roupas e bugigangas que ele tentou ignorar mais uma vez. Respirando fundo ele chegou mais perto do Uzumaki que estava envergonhadíssimo por não ter dado uma geral no quarto antes de trazer uma pessoa que mal conhecia para lá, e o abraçou por trás.

O Uzumaki se arrepiou por inteirou ao sentir o corpo do mais velho colado ao seu e respirou fundo mordendo o lábio.

— Vai fazer minha noite valer a pena, loiro? – Sasuke perguntou, lambendo o pescoço do outro.

— Com certeza não vou deixar você esquecer por nada de hoje – Naruto virou-se nos braços do Uchiha e agarrou os cabelos negros dele, começando um beijo voraz.

Em todos esses anos de experiência, Naruto tinha que admitir que Sasuke tinha um dos melhores beijos da vida inteira dele. Não sabia o porquê e nem como, mas o Uchiha era bom para o senhor caralho. Ele não parecia o cara que sai beijando várias pessoas – como Naruto era na verdade – e ser três anos mais velho era ridículo em colocar como motivo.

Levou uma mordida leve no lábio e parou de pensar tão longe e se focou mais na pessoa a sua frente. Suas mãos foram para a barra da camisa preta de Sasuke e a ergueu sem nenhuma objeção. Ao ver a pele pálida seu primeiro desejo foi marca-la por inteiro. O Uzumaki tinha uma leve tara em marcar as pessoas com quem ficava.

Desceu a boca para o maxilar do moreno e foi mordendo até chegar a sua clavícula e um pouco abaixo dele, deixou um chupão.

Sasuke por sua vez odiava ser marcado. Bem, no momento em si ele gostava de ter a boca do parceiro passeando e fazendo pressão pelo seu peito e afins, mas no dia seguinte tinha vontade de matar o indivíduo.

No meio da vários beijos e marcas, as mãos de Naruto desceram até as calças do companheiro e com vontade, pressionou sobre o volume entre as pernas do outro, que arfou alto e segurou forte nos cabelos loiros e começou mais um beijo afoito.

O Uzumaki por sua vez, foi abrindo o zíper da calça também preta de Sasuke e a abaixou com uma leve dificuldade até quase os joelhos do mesmo, que soltou seus cabelos e foi ajudando-o a tirar a peça enquanto iam em direção à cama do loiro. Assim que as pernas do mais novo bateram no colchão ele se sentou e viu o moreno já seminu. Puxou-o pelas coxas e sentou-o sobre as suas. Aproveitou para segurar as nádegas firmes do Uchiha e sugar-lhe os mamilos, que ficaram ao seu alcance.

Sasuke segurou um gemido. Se havia uma coisa que ele amava era que fizessem aquilo com ele. Encolheu os ombros e trouxe a cabeça de Naruto para trás pelos cabelos, para poder lhe beijar mais uma vez. As mãos do loiro passeavam pelas suas costas arranhando-o levemente enquanto ele tinha as deles sobre o membro do outro. Preferiu tirar primeiro a camiseta vermelha que Naruto usava e pode ver um belo corpo esculpido pelo que garantia ter sido horas na academia.

Resolveu que iria dar a Naruto uma coisa que negava a estranhos.

Desceu do colo do Uzumaki, que apenas ficou o olhando e agachou-se no chão. Assim que previu o que aconteceria Naruto abriu sua boca no formato de “o” e apoiou as mãos no colchão inclinando um pouco o corpo para trás. O moreno então levou suas mãos até o botão da calça do loiro e abriu-o rápido, levando o zíper junto e já descendo o jeans até os tornozelos dele.

Começou a acariciar o pênis do futuro arquiteto enquanto mantinha o contato visual, apenas para ver o loiro fechar os olhos em deleite por ser tocado. Aumentou a pressão e fez alguns movimentos por cima da cueca dele apenas para deixa-lo mais arrepiado e com vontade de si.

Abaixando finalmente a última peça do corpo do loiro, ele segurou o membro ereto e sem delongas foi passando a língua pela glande. Colocou-a na boca e sugou de leve, apenas para depois solta-la com um leve som e focar-se na extensão do pênis do Uzumaki, que a esse ponto estava apoiado nos ombros por ter perdido o equilíbrio nas mãos.

Ver Sasuke o chupar estava sendo o paraíso. Ter aqueles olhos negros grudados nos seus iria o levar a loucura – coisa que ele já sabia que o Uchiha pretendia desde o primeiro momento que pôs os olhos em si – e ver a boca, agora vermelha, do mais velho desaparecer com seu membro estava sendo sua perdição.

Segurou nas mechas negras e por instinto forçou levemente a cabeça de Sasuke para baixo, fazendo-o sugar mais de seu pênis, e para sua surpresa, ele colocou-o todo em sua boca o que fez Naruto soltar um gemido alto e segurar com mais força ainda os cabelos escuros. Assim que soltou o membro dos lábios, o Uchiha começou a movimentar a cabeça com rapidez e a visão do Uzumaki embaçou em prazer. Não iria deixar Sasuke faze-lo gozar assim tão cedo.

Empurrou-o pelos ombros, forçando-o a tirar a boca de si e o puxou para seu colo de novo, beijando-o com vontade e pouco fôlego.

Levou as mãos para a bunda de Sasuke mais uma vez, mas dessa vez adentrou-as na cueca que ele ainda usava. Um de seus dedos foi de encontro ao meio delas e passou de leve pela entrada do moreno, que se arrepiou por inteiro enquanto beijava a bochecha do loiro.

— Tem lubrificante? – ouviu o mais velho perguntar.

— Na gaveta da cômoda – respondeu e ele já saiu de seu colo mais uma vez e foi-se em direção ao móvel.

Voltou rapidamente e já tirando a peça íntima, e assim que chegou à frente do loiro, o mesmo o puxou, jogando-o na cama de bruços.

Assim que ficou de pé, Naruto pôde ter uma bela visão do corpo de Sasuke inteiro. Apreciou desde os cabelos que caiam na frente dos olhos que o miravam com safadeza, até os pés erguidos que balançavam, mas era óbvio que a bunda dele era o que mais lhe chamava atenção.

Que belo lugar para se deixar vermelho. Pensou.

Colocou as mãos no quadril do Uchiha e o puxou para cima, deixando-o sobre os joelhos e sem demora, separou-lhe as nádegas e passou a lamber a entrada dele.

Sasuke ficou surpresa com a atitude do Uzumaki e riu de leve e mordeu os lábios para depois remexer seu quadril.

O loiro continuou ali por algum tempo até pegar o potinho de lubrificante da mão do moreno e o espalhar pelos dedos e por o primeiro no interior dele, que não reclamou, apenas deixou sua cabeça cair no colchão.

Naruto colocou o segundo e o terceiro dedo e ficou ali, mexendo seus dedos e acariciando e arranhando com a mão esquerda as costas e as bochechas da bunda do Uchiha.

— Você não geme não teme? – ele perguntou assim que tirou seus dedos de dentro do mais velho.

— Depende – ele sorriu de lado – Se a pessoa for boa o suficiente...

E atiçado por isso, Naruto mordeu de leve um lado da bunda e no outro lhe deu um tapa, antes de agachar-se e pegar uma camisinha no bolso de sua calça, a retirar do embrulho e colocar em si.

Sasuke por sua vez, assistia o loiro pelo ombro e assim que recebeu um olhar interrogativo do Uzumaki, afastou um pouco mais as pernas em resposta para ele e assim que sentiu começar a ser invadido mordeu os lábios fortemente.

Naruto estava amando estar dentro do Uchiha naquele momento e quase não se segurou para não começar a estoca-lo no mesmo momento.

— Que foi? – Sasuke perguntou, olhando-o pelo ombro.

— Nada – o loiro riu – Eu só não quero te machucar.

— Ah pelo amor de Deus – ele revirou os olhos e se retirou do outro. Virou-se de frente para esse e o jogou sentado ao seu lado e então, sentou-se no colo do mesmo e encaixou o pênis dele em si e desceu lentamente.

— Não me trate como uma boneca de porcelana – o Uchiha disse enquanto rebolava lentamente para depois fazê-lo sair e entrar de si.

— Me desculpe então, senhor arrogante – Naruto riu e pôs as mãos na bunda do moreno, ajudando-o a subir e descer melhor.

Sem responder, o Uchiha sorriu de lado e empurrou o tronco do Uzumaki para que esse ficasse deitado na cama e apoiou suas mãos no peito dele.

A cada minuto que passava o prazer de ambos aumentavam. Naruto estava amando ter a visão do Uchiha em cima de si, cavalgando rápido e forte, fazendo uma carinha linda enquanto mordia os lábios e cerrava os olhos. Já Sasuke não podia estar se sentindo melhor, tendo o loiro dentro de si, quase tocando na parte mais prazerosa de seu corpo, enquanto tinha as mãos em seu quadril, apertando forte e o deixando vermelho.

Tentou acelerar mais os movimentos de seus quadris, porém sua força estava acabando, e assim que Naruto percebeu o mesmo, pegou-o pelas coxas e o virou na cama, o deitando e podendo assim ter melhor liberdade em penetrar o Uchiha.

Sasuke abriu a boca num “o” assim que o Uzumaki tocou-lhe a próstata e deixou um suspiro alto sair. O loiro sorriu e resolveu provocar:

— Vamos Sasuke – ele riu, dizendo perto do ouvido do mesmo – Geme pra mim.

— Já disse... Que tem que merecer isso – arfou – Usuratonkachi.

“Ah é?”, e pensando nisso, o loiro pegou ambas as pernas do moreno, levou-as até o peito dele e mandou-o segurar, recebendo um olhar tanto quanto irritado por estar ouvindo ordens, e assim que ele lhe obedeceu, saiu de dentro do Uchiha apenas para agachar-se, dar uma leve mordida numa banda da bunda – já avermelhada dele – e voltar a se enterrar em Sasuke, com força e vontade.

Sasuke segurou um belo gemido que ia lhe sair, mordendo os lábios que também já estavam bem vermelhos tanto pelos seus dentes quanto pelos do Uzumaki e sorriu de lado. Naruto estava tentando. E tentando com gosto.

Os movimentos do bronzeado aumentaram ao máximo que ele podia aguentar em manter o ritmo e sentiu que estava para gozar. Fez o moreno separar um pouco as pernas enquanto ainda as segurava e passou a masturba-lo quase na mesma velocidade que seus quadris mexiam. O moreno já não cabia em si de prazer e sabia que Naruto também estava quase lá, por isso, puxou-lhe pelos ombros até a sua boca e o beijou com volúpia.

Sasuke gozou no mesmo momento em que Naruto lhe mordia o lábio inferior e tinha sua mão a segurar seu pescoço de leve. Gemeu alto, demonstrando todo o prazer que o loiro tinha lhe dado.

Naruto não ficou para trás. Assim que sentiu a pulsação do canal do mais velho, deixou-se derramar no preservativo e com um gemido e deu outra mordida – mais como um raspar de dentes – na bochecha do moreno.

Saiu de dentro dele e caiu deitado ao seu lado. Olhou-o e riu de leve, vendo a respiração ainda acelerada do Uchiha e percebendo que a sua estava igual.

Sasuke por sua vez, rolou para cima do Uzumaki mais uma vez, pegando-o de surpresa, e o beijou da forma mais erótica que sabia.




— Fala dobe – Sasuke disse assim que atendeu seu celular.

Era sexta-feira e ele já tinha voltado para Oxford desde o começo da semana. Tinha passado uma ótima noite com o loiro e não conseguia tirar aquilo da cabeça. E muito menos Naruto.

Estavam mantendo contato, pois nenhum deles queria perder um parceiro de boa foda e acabaram se conhecendo bastante nessa uma semana de mensagens – e algumas ligações no meio da noite – trocadas.

EEH, não me chame assim! — o arquiteto reclamou do outro lado da linha, e depois sussurrou: - Teme.

— Para de reclamar, idiota – o moreno dizia, enquanto tinha o celular apoiado entre a cabeça e o ombro, uma das mãos segurando livros de anatomia e a outra pagava a atendente do café onde pedia – E diz logo o que você quer.

Para ser sincero eu quero você de novo na minha cama ­— o loiro riu o que fez Sasuke rolar os olhos, mas ao mesmo tempo, no fundinho concordar com ele e sorrir leve de lado – Mas como ainda não vai ‘ta tendo... Quer sair comigo?

— Sair como, baka? – pegando seu copo de papel com café puro e saiu do estabelecimento.

Sabe que ainda não peguei os significados de todos os seus xingamentos para a minha pessoa né? — Naruto reclamou mais uma vez.

— Sei, por isso ainda é legal te chamar assim – bebeu um gole do expresso.

Enfim, estou indo para Oxford... Bora se encontrar – ele disse e Sasuke pode sentir o sorriso gigantesco dele se formando.

— Como assim você está vindo para cá? – perguntou, e assim que chegou à mesa dos amigos, largou tudo ali em cima.

Sim! Agora mesmo! — gritou.

— Você não deveria estar na faculdade? – perguntou tentando entender o que acontecia.

Na verdade não! Não tive aula hoje — respondeu.

— Não teve, ou não quis ter? – olhou pelo campus verde.

É serio! Hoje não teve aula. Feriado de não sei o que — Naruto parecia irritado. Sempre ficava assim quando não acreditavam nele.

— Tá então – respondeu – E onde o senhor pretende me encontrar?

E combinaram que assim que o Uzumaki chegasse à cidade, era para ir direto ao endereço que o moreno tinha lhe passado e esperar por ele lá. No final das contas era o apartamento dele e no momento em que pôs os pés dentro do local, ele se sentiu rico. Era gigantesco e bem no meio da cidade, com móveis de aparência luxuosa. Passou por todos os cômodos e chegando ao quarto, sentiu uma imensa vontade de deitar-se na cama do Uchiha.

E não deu outra.

A primeira coisa que sentiu foi o cheiro de Sasuke, que era bem reconhecível para ele, já que tinha passado noites com aquele mesmo perfume em seus lençóis. Pensou naquela semana que tinha conhecido tanto do moreno e sorriu. Eles eram perfeitamente opostos e ao mesmo tempo pareciam se encaixar tão bem. Naruto não podia negar que gostaria de manter aquela relação com o outro e talvez até a aprimorar. Não podia negar menos que estava apaixonado pelo corpo do Uchiha. Nunca tinha sentido tanto prazer com um parceiro.

Quando Sasuke chegou, pegou Naruto cochilando sobre sua cama e resolveu o acordar de um belo jeito carinhoso.

— Acorda! – gritou, batendo no loiro com um travesseiro que acordou gritando.

Depois de ser xingado por vários minutos, resolveram sair para jantar num lugar barato e bom, pois segundo Naruto:

— Eu não vou pagar jantar caro para a princesa!

Esse por sua vez foi xingado pelo moreno, mas com tudo já um mar de rosas, eles seguiram seu caminho.

Chegaram ao Meli Deli, um restaurante barato segundo o Uchiha e ficaram ali, horas a fio conversando sobre tudo e mais um pouco. Carreira, família, amigos e eles mesmos. A cada momento eles percebiam o quão mais mereciam um ao outro e como seriam um ótimo casal.

Assim que pagaram a conta – por que Sasuke Uchiha não é homem que se deixar pagar a conta por – pediram um táxi e ficaram pertinho um do outro, por causa do frio que fazia, se olhando.

O táxi preto chegou e Naruto entrou primeiro, sendo seguido pelo moreno que tinha as bochechas rosadas. Uma semana e o frio já tinha chegado. O loiro sentou-se encostando as pernas com as do outro e pegou as mãos frias dele para esquentar entre as suas que nunca ficavam geladas.

O taxista perguntou se não se incomodavam em ouvir o rádio, e mesmo com um olhar reprovador do Uchiha, Naruto respondeu que não.

O som da música chegou de leve, abraçando o momento que o casal no banco traseiro se encontrava e percebendo isso, Naruto virou-se para Sasuke e roubou-lhe um beijo, deixando-o com o olhar arregalado e levemente envergonhado por ele ter feito isso na frente de um estranho.

O Uzumaki por sua vez achou aquilo fofo, mas ignorou, o beijando novamente, e recebendo a reciproca quase momentaneamente, já que Sasuke não se aguentava com o beijo do loiro.

E ali ficaram até o momento que chegaram ao endereço do moreno, sendo observados por um taxista que sorria feliz, por mais um belo casal no mundo.


26. Februar 2018 01:11:07 6 Bericht Einbetten 15
Das Ende

Über den Autor

B. L. P. 20 anos. Escorpiana. Tento escrever, às vezes sai alguma coisa.

Kommentiere etwas

Post!
Luana Modesto Araújo Luana Modesto Araújo
Fofo
19. September 2018 19:55:14

  • B. L. P. B. L. P.
    Obrigada ❤️ 19. September 2018 22:05:01
KL Kitsune Lyra
Também acho que merecia uma continuação, de tão lindo e intenso que foi! O encontro deles foi quente, carnal, mas ao mesmo tempo tem um sentimento subentendido que vai crescendo aos poucos. Adorei esse Naru delinquente ahhaa Ficou ótima!
4. Juni 2018 13:33:52

  • B. L. P. B. L. P.
    AAAAAHHHHHHHHH OBRIGADA! Um amorzinho desse bicho, quero até pra mim kkk Obrigada por comentar ❤️ 19. September 2018 22:05:01
Marcia Castro Marcia Castro
Tinha que continuar...
8. März 2018 10:38:05

  • B. L. P. B. L. P.
    Sorry por não continuar... Mas a intenção era uma one kkkkk Obrigada por comentar! 19. September 2018 22:03:14
~