Apenas um Noite Follow einer Story

HenryKun Henrique Kun

Uma desilusão, uma viagem, uma noite de bebedeira mudam a vida de duas pessoas para sempre.


Fan-Fiction Nicht für Kinder unter 13 Jahren.

#NaruSasu #SasuNaru #Itachi/Deidara #Sasuke/Naruto #Yaoi #Naruto/Sasuke #Naruto
19
7.2k ABRUFE
Im Fortschritt - Neues Kapitel Alle 15 Tage
Lesezeit
AA Teilen

O Começo

Iniciava-se mais uma edição do jornal e mais uma vez a matéria sobre o ocorrido na semana anterior ainda repercutia fortemente.

- Estamos iniciando mais uma edição do jornal TK-News, e hoje iniciamos com o grande escândalo que abalou as estruturas de Tokyo semana passada, o que deveria ter sido um dia de felicidade ao herdeiro do conglomerado Konoha, Uzumaki Naruto, acabou por se torna uma data vexatória ao herdeiro após ser abandonado no alto pela sua noiva.

O reporte continuava a matéria.

- Semana passada em frente a está catedral ocorria o casamento da herdeira do hospital metropolitano de Tokyo, Haruno Sakura com o jovem Uzumaki Naruto herdeiro do conglomerado Konoha. Aquela data que prometia ser um dia de extrema felicidade aos noivos tornou-se uma data de grande infelicidade para o noivo e sua família, já que a noiva fugiu na noite do dia anterior ao casamento sem deixar pistas, rumores dizem que apesar do namoro de anos a noiva não queria o casamento e foi forçada a este pelo noivo, alguns afirmam que o casamento só ocorreu graças ao enorme empréstimo que o noivo fez ao hospital devido a enormes dividas e problemas financeiros.

- Segundo amigos e parentes, os noivos sempre exibiam a imagem de casal perfeitos, a jovem Haruno atualmente com 25 anos, já tem um nome dentro da área medica de Tokyo sendo diversas vezes comparada juntamente com o irmão do noivo Menma Uzumaki com a grande Senju Tsunade, criadora do sistema medico atual e madrinha do noivo. Já o jovem Uzumaki apesar dos seus 25 anos já possui renome internacional e por ser o vice-presidente do grande conglomerado Konoha além de ser o responsável pela internacional da empresa.

- Procuramos conversa com a família dos noivos, mas os mesmos resolveram não se pronunciar ainda, procuramos o noivo na sua residência mais desde a data do casamento Naruto Uzumaki não foi encontrado, e desde essa data em que o noivo saiu da catedral escoltado por seguranças, procuramos a assessoria de imprensa de todos os envolvidos e os mesmo resolveram não se manifesta.

Assistindo a essa nova reportagem estava os pais do loiro, vendo mais uma vez a imprensa tentando transforma o caçula da família em vilão, ela estava ainda mais revoltada por isso está ocorrendo em uma das emissoras da família, e cada minuto de reportagem irritava a matriarca da família que estava ao telefone pedindo a cabeça do reporte e da equipe que fizera a matéria mais alguns segundos ela vira para o marido com o rosto confirmando que conseguira o que queria para logo fechar o rosto e começar a falar com o marido de maneira muito preocupada.

- Minato, faça alguma coisa, o Naruto já está a uma semana fechado naquela casa, por mais que quando ligamos ele diga que está bem, eu não acredito nisso.

- Kushina, não se estresse, parece que você não conhece nosso filho, você sabe que ele está tentando acalmar os sentimentos e pensando no que fazer, mais hora ou menos hora ele vai bater na portar.

- Eu espero realmente que sim, mudando de assunto, você já descobriu onde a vadia rosa está? Eu juro que vou fazer ela se arrepender de ter nascido.

- Acalme-se Kushina, ainda não descobri onde aquela moça está mais logo, logo saberei então se acalme porque o que é dela já a está esperando.

Podia se sentir a aura negativa que os dois emanavam ao longe, uma coisa contraditória já que toda a sociedade via aqueles dois como pessoas tranquilas e extrovertidas que não fariam mal nem a uma mosca.

-------------------Apenas uma Noite-------------------

Naruto estava á quase uma semana trancado em sua casa procurando acalmar seus sentimentos, o pior era que aquela residência ele havia comprado para ele e sua ex-noiva, e tudo nela havia sido decorado pela mesma, por isso, cada canto daquela casa trazia muitas recordações que o deixava ainda mais arrasado mais ele recusava-se a sair de lá, diferente de outros que teriam se distanciado de tudo que fizesse lembrar-se da pessoa que o tinha enganado e abandonado, ele não, ele queria enfrentar de frente e superar por isso forçava-se a continuar ali e recorda de tudo o que viveu com a ex-noiva, além de lembrar do fatídico dia que foi o fiasco do seu casamento.

FLASH BACK ON

A cerimonia estava marcada para sábado ás 10h da manhã, os convidados já estavam presente, padrinhos, damas, a família dos noivos, tudo só a espera da noiva. Naruto estava ansioso no altar quando sua amiga de longa data Hinata o chama.

- Naruto, precisamos conversar.

Naruto virou para ela e lhe viu aflita, mas aquele era o dia do seu casamento com a sua querida Sakura, naquele dia ele queria ser egoísta, se houvesse problemas que se virassem até depois do casamento, mas Hinata é sua amiga que lhe ajudou em uma época chata da sua vida, ele não poderia simplesmente ignorar ela.

- Tem de ser agora Hinata?

- Infelizmente, sim.

Um pouco descontente ele olhou para a amiga, já que ela foi quem deu a ideia e providenciou que ninguém chegasse com problemas perto do loiro ele não entendia aquela aflição da morena, ele resolveu aceitar já que sua noiva não havia lhe contatado para dizer que já havia chegado a catedral.

- Está bem, vamos à sala aqui do lado.

Naruto virou-se para os pais que estava no alto anunciando que iria conversa com a jovem na sala do padre que ficava no fundo do altar, os dois se afastaram caminhando rumo a sala do padre sendo seguidos pelos olhos atentos dos convidados, ao entrarem na sala Naruto logo se põem a falar.

- Ok Hinata, o que há de tão importante para me falar.

- Naruto...

Era possível ver a tensão da noticia no rosto da pobre Hyuuga, mas tomando um pouco de ar ela começou a falar.

- A Sakura... Fugiu.

Naquele momento Naruto travou por alguns segundos, e logo se põe a rir.

- Hahahahahahaha. Hinata, assim você me mata de susto, que brincadeira mais sem graça.

Ele olhou novamente para o rosto da garota a sua frente e parou de rir.

- Não é brincadeira Naruto, a Sakura realmente fugiu.

- Não, não pode ser.... É brincadeira né? A Sakura não pode ter feito uma coisa dessas comigo, não comigo.

- Desculpe Naruto, mas sim, ela fez, eu fui buscar ela lá e quando entrei no apartamento dela estava vazio, as malas haviam desaparecido e o vestido estava sobre o sofá e só encontrei esse bilhete.

A jovem entregou o bilhete ao noivo que ao abrir e ler se pôs a somente levar as mãos ao rosto e dá um grito de tristeza que pode ser ouvido no grande salão da catedral assustando os convidados, fazendo com que os seus pais e seus irmãos corressem e adentrassem a sala preocupados.

- O que houve Naruto?

- O que houve filho? Por que você gritou?

Eles continuavam a perguntar sem receber resposta nenhuma, viam o filho se debulhar em lagrimas sem contar o motivo, até que reparando a jovem Hyuuga voltaram-se para ela e tornaram a perguntar o que havia ocorrido para que ele estivesse naquele estado, era possível ver o medo da Hyuuga, pois ela sabia muito bem que além de muito poderosos e influentes os pais do Uzumaki eram extremamente protetores ainda mais com o caçula, suas pernas começaram a tremer e quando ela ia responder, Naruto levantou o rosto e disse.

- Ela... Fugiu.

- O que? Quem fugiu meu filho?

Em meio a lagrimas Naruto falou novamente.

- Sakura... Mãe, a Sakura fugiu.

Por um momento toda a família ficou paralisada sem dizer uma palavra, só se ouvia o soluçar do caçula Uzumaki, a jovem Hyuuga se afastou chegando a um canto da sala se preparando para ver o que ocorreria, ela já estava acostumada com as atitudes da família já que era melhor amiga de Naruto desde a infância, ela sabia que por mais que aparentasse ser uma família totalmente calma, eles nunca foram assim, eles eram extremistas e aquele lema dos três mosqueteiros “Um por todos, e todos por um” era aplicado ali muito fortemente.

Viu Kushina a matriarca da família, uma mulher na casa dos quarenta com longos cabelos vermelhos com corpo e rosto que não aparentavam ter mais de 25 anos, andava de um lado para o outro resmungando coisas inaudíveis, ela que era tida como a mais influente politica da atualidade, mas que ao mexer com a família se tornava um verdadeiro demônio, ela já havia visto a matriarca da família estraçalhar moralmente diversos poderosos e derruba grandes empresas ao fundo do poço somente por ter levantado a voz ou a mão para um dos seus bebês, principalmente para o caçula que por mais que não precisasse dessa proteção toda ela nunca deixava de dá-la, Minato o patriarca da família que também estava na casa dos quarenta com lindos cabelos loiros e olhos azuis que também não aparentava ter mais de 28 anos tomou o filho nos braços em um abraço forte de consolo, tido como um dos cinco maiores empresários do mundo era considerado um dos prodígios do século, uma coisa inteligente seria nunca o irritar coisa que ele estava naquele momento demonstrando através dos seus olhos o ódio que sentia naquele momento ali estava um verdadeiro demônio para proteger sua família e se ele falasse mansamente era ai que deveria se ter medo pois era certo o fim de algo, os irmãos eram tão unidos, mas diferentes dos pais que quebravam a moral e a honra da pessoa eles quebravam o físico mesmo, diferentes dos pais quando jovens ele nunca foram de controlar suas emoções por isso era constante ver eles envolvidos em confusões até chegarem a fase adulta, principalmente o mais velho, Kurama com seus 28 anos e cabelos e olhos vermelhos, já considerado um grande Cientista dentro do ramo genético ele podia esta se esvaindo de tantos palavrões que nem mesmo o mundo tem conhecimento de tão vasto seu vocabulário, mas todos sabiam que o mesmo modo que era inteligente era bom de briga, até mesmo Menma irmão gêmeo do Naruto, mas tinha cabelos negros e estava na tutela da grande médica do século Tsunade, madrinha do mesmo estava tão perplexo que só emitia aquela onda de ódio era tão grande que seus olhos azuis tinham ficado vermelhos, uma marca da família Uzumaki/Namikaze que com a mistura dos genes deixava os olhos vermelhos quando sobre estresse ou raiva, e o pior era que mesmo sendo o mais sensível dos três tinha um lado negro que ninguém ousava atiçar, e Naruto esse que era para se temer.

Os pais e os irmãos emitiam sentimento de fúrias e o clima na sala era tão pesado que se tinha a sensação de uma tempestade furiosa daquelas que causam destruição onde passa, e ali estava a jovem Hyuuga no canto vendo tudo até que um grito da matriarca da família á pegou desprevenida.

- EU SABIA QUE AQUELA VAGABUNDA ROSADA IRIA MACHUCAR MEU BEBÊ.

Todos haviam escutado o grito de Naruto, igualmente escutaram a frase de Kushina, todos se perguntavam o que ocorria e nem perceberam que os pais da noiva saiam de fininho já parecendo entender a situação e temendo que sobrasse para eles também, enquanto isso Minato tentava acalmar sua esposa.

- Acalme-se Kushina, isso não é hora para isso, olhe o estado do nosso filho, deixe isso para depois.

- Eu não posso Minato, meu bebê está se acabando de chorar, o que você quer que eu faça, simplesmente esqueça isso?

- Não Kushina, o que eu quero é...

Foram interrompidos por Menma com olhos embaçados.

- Naruto, me desculpe se eu soubesse que iria acabar assim eu nunca teria te apresentado a ela, me desculpa.

Era possível ver o arrependimento e tristeza nos olhos do filho do meio a culpa estava lá e vendo que isso machucou o seu irmão o mais velho resolveu se manifestar.

- Eu não vejo porque você se desculpar Menma, a culpa não foi sua e sim daquela coisa rosa, mas uma coisa eu não entendo, quem te disse que ela fugiu Naruto?

Era possível vê que o mais velho dos irmãos havia recuperado do choque primeiro que todos e quando ele perguntou aquilo a jovem Hyuuga se manifestou.

- Foi eu Kurama-san.

- Foi você Hinata, tem certeza disso.

Aquilo soou ofensivo a Hyuuga, ela simplesmente virou a cara e continuou.

- Sim, eu tenho certeza, eu fiquei responsável por vim com a Sakura para a igreja já que eu era a madrinha, eu cheguei a casa dela e não tinha ninguém, as malas haviam sumido e o vestido estava largado em cima do sofá e vi um bilhete em cima do mesmo.

Ela apontou para o papel no chão embaixo dos pés da matriarca da família.

- Quando eu li o bilhete, tentei ligar desesperado para ela e quando consegui, ela me disse que já estava entrando no voo com seu verdadeiro amor.

A matriarca pegou o bilhete começou a ler e ficou indignada e o ódio que estava sentindo só aumentou mais e uma coisa que você não deseja vê é a matriarca dos Uzumaki’s furiosa e isso ocorria ali a cada linha lida daquele bilhete.

- O quem essa puta pensa que é para falar algo assim para o meu bebê.

- O que ela diz Kushina.

Kushina olhou para todos e principalmente para Naruto que ainda estava aos prantos e começou a ler para todos na sala.

- “Oi Hina, você deve ter achado o bilhete né, pois bem, eu peço que você me faça um favor de dá esse recado ao babaca do meu EX-NOIVO. Naruto, eu encontrei meu amor que ao contrario do filhinho de papai que é você ele é muito homem, já estamos juntos há algum tempo e ontem quando me pediu para ir com ele numa viagem eu aceitei na hora, espero que você esteja sofrendo muito ai no altar, talvez você não entenda porque eu disse isso, mas já nos conhecemos antes quando tínhamos 12 anos e você me separou do meu grande amor, eu nunca consegui esquecer, por isso, quando Menma nos apresentou naquela festa eu pensei e coloquei em pratica uma pequena vingança, e o que seria melhor do que conquistar você e te larga no altar de quebra te humilhando em publico é até engraçado pensar que também vai recair sobre a sua família que são um pé no saco também, principalmente a sua mãe, ainda me perguntou como ela garrou seu pai ele deve ser muito trouxa, para cair na dela e seus irmãos tapados se achando um máximo principalmente o Menma com a mesma cara que você, ele se acha só porque a madrinha dele é a Tsunade aquela velha que se acha a maior medica do mundo, mas eu estou somente realizando minha vingança, espero que você morra. Beijinhos da sua amada Sakura”.

Quando Kushina terminou de ler a família estava sem palavras, Naruto ainda soluçava e ao escuta sua mãe terminar de ler, falou com a voz embargada falou.

- Me desculpem.

Todos viraram o rosto na mesma hora para ele e viram que ele começava a se culpa por isso e logo Kurama se manifestou.

- Não tem porque você se desculpa otouto, a culpa não foi sua e sim da rosada, ela queria vingança por algo que você nem deve ter feito por querer e ainda teve aquele acidente no qual você perdeu a memória dessa época, foi assim que ela se aproveitou do que você sentia por ela.

- Sim meu filho, essa menina pelo jeito nem conhecia você de verdade se não ela saberia que metade das empresas no nosso conglomerado foram criadas e são administradas por você.

- Mas pai, eu gosto dela e olha só o que ela fez comigo... E ainda... Ainda puxou vocês. Isso com certeza se tornara um escândalo.

- Calma meu bebê, eu e seu pai quando construíamos isso que temos hoje e cuidávamos de vocês ao mesmo tempo passamos por coisas piores não ligamos para isso, a única coisa que nos atinge é mexerem com vocês meus filhotes e é por isso que vai troco.

Ninguém disse nada naquele breve momento, pois, o troco que viria não seria só de um mais de todos, passado alguns segundos Menma se manifestou.

- Então, você fica aqui otouto, vamos anunciar aos convidados que não haverá mais casamento e chamar os seguranças, porque sair daqui vai ser difícil já que lá fora existe uma multidão de jornalistas e paparazzi, vejo que essa semana para nós será bem tribulosa.

E naquele momento Naruto se mostrava bastante abalado não fora somente o abandono de Sakura no altar que o deixará assim, o fato dela ter tramado por algo que ele nem mesmo lembrava e que envolverá o nome da sua família, a saída da catedral assim como Menma dissera foi de fato algo pavoroso sair da catedral porque os repórteres os cercaram querendo saber o que havia ocorrido para que o casamento não houvesse acontecido, logo depois rumores e calunias surgiram envolvendo o nome dele, sua honra estava sendo atacada, mas ele nenhuma vez se manifestou e a cada nova calunia que surgia com seu nome sua família usava de todos seus recursos e influencias para descredibiliza tanto as calunias como os caluniadores durante aquela semana.

FLASH BACK OFF

Na sala da mansão do Jovem Uzumaki ele olhava para uma foto onde estava com a ex abraçados e isso trouxe as ultimas lagrimas aos olhos e ao serem derramas o jovem se levantou catou todas as fotos deles dois e dela da casa levou tudo ao quintal da casa e colocou fogo nelas, olhou para o céu estrelado, suspirou e disse.

- Sakura, eu gostei muito de você e mesmo sentindo que não era você, eu me dei por completo a você, mas você me magoou, traiu e não bastando isso ainda envolveu a minha família a coisa mais sagrada para mim, espero que quando você volta entenda que toda ação tem uma reação. Isso não é só por mim, mais sim pela minha família, espero que você volte bem, porque quando você aparecer conhecera o inferno, porque eu vou acabar com você e tirar tudo de você começando por tirá-la do meu coração de um jeito ou de outro, você vai se arrepender de tudo isso vai querer nunca ter mexido comigo, vou te mostrar porque me chamam de Kyuubi.

-------------------Apenas uma Noite-------------------

Kushina já não mais aguentava esperar pelo filho, por isso, levantou-se acordando o marido ao se ajeitar para ir à casa do filho, ao descer as escadas se surpreendeu ao encontrar o filho sentado no sofá somente a esperando.

- Oh bebê, como você está, estava indo te visitar.

- (risos) Mãe, você não tem jeito né? Eu estou bem, só precisava de um pouco de tempo para por tudo em ordem, se estiver tudo bem eu vim tomar um delicioso café da manhã em família.

Ao ver no rosto do jovem que ele parecia mais leve a matriarca abriu um belo sorriso e caminhou juntamente com o filho gritando para os outros membros da família para descerem, e cada novo membro da família que descia e encontrava o mais novo se surpreendia, o café da manhã ocorreu tranquilo e regado a brincadeiras e pequena brigas infantis entre os irmãos que hora ou outra tiravam a matriarca do sério, mas que mesmo assim a deixava feliz porque parecia que o que havia ocorrido na semana anterior fosse um passado distante, ao terminar o café o mais jovem se pôs a falar.

- Bem, apesar de ter vindo mesmo para tomar esse maravilhoso café da manhã com a minha família eu também tenho outra coisa a dizer, Menma-nii eu queria que você assumisse o Hospital metropolitano.

Todos da família ficarão calados, porque de inicio não entenderam mais Naruto continuava a falar.

- Vejo que vocês não entenderam né?

- Eu estou boiando otouto.

- Vocês lembram que um pouco depois do inicio do meu namoro com a Sakura eu fiz um empréstimo ao hospital né?

- Sim!

Responderam todos em conjunto.

- Pois vejam bem, eles nunca pagaram nenhuma parcela do empréstimo além de estarem novamente endividados, fora as irregularidades no hospital ao qual você conhece bem, por isso no inicio da semana entrei em contato com o Gaara e o Juugo e demos entrada ao processo que me dará posse do hospital e supondo que tudo ocorra bem talvez no mais tardar o fim do mês o processo chegue a uma decisão final.

- Hum, muito bom otouto, até ai tudo bem, mas você vai mesmo assumir a administração do hospital ou vai somente toma-lo?

- Sim, eu vou só que indiretamente, o hospital apesar da má administração ainda tem renome, vou ligar para a baa-chan para vim assumir, mas como você conhece todos lá e sabe dos podres vai poder me apontar todos os defeitos os erros e os irresponsáveis de lá, assim eu vou fazer uma limpeza no hospital e deixar só quem realmente seja bom, além disso quero que levante informações do por que dessas dividas, e, além disso, como disse, faça a sua lista que saindo a decisão do juiz vai haver demissão ali, eu quero e vou levanta-lo novamente só que agora com o nome Namikaze-Uzumaki e dar fim aos Harunos.

- Tudo bem.

- Ah, mais uma coisa, como já é quase certo que o hospital vá passar para as minhas mãos, eu quero... opa, quero não... eu vou transforma-lo em um hospital escola além de associa-lo aos laboratórios Konoha, ai Kurama-nii eu queria que você vez ou outra passasse lá para ver se existem algumas pessoas que se disponibilizem para os estudos e testes para novos tratamentos e novos medicamentos, essa será uma boa chance de parceria para os laboratórios Konoha.

- Otouto, até vejo que você está pensando em muita coisa, mas você sabe que esse hospital ainda não está em suas mãos, além que eles podem recorrer.

- Entendo o que você quer dizer Kurama-nii, mas eles não vão, porque descobri que o hospital está sem advogados e que a Sakura ao fugir levou todo o dinheiro que o hospital tinha em caixa o que não era muito. Além que eles já estão rotulados de caloteiros pelas enormes dívidas e varias escritórios de advocacias renunciaram representar eles em vários dos processos que já existem contra eles, e também você se esqueceu de quem eu sou é? Eu sou Kyuubi o devorador, eu vou mostrar que comigo ninguém brinca.

Ao termina de dizer todos começaram a gargalha.

- Tá vendo Minato, esse é o meu bebe.

- To vendo sim, como será que ele ficou assim?

- Eu não sei, só sei que ele é bom, mas filho eu sinto que você ainda quer dizer algo.

- Sim mãe, na verdade eu também vim avisar que vou viajar por uns dias...

Nessa hora a porta foi aberta e entra um casal muito conhecido pela família.

- Eu ouvi alguém dizendo que vai viajar.

- Ero-sennin, Tsunade-baachan.

O jovem Uzumaki correu abraçando o padrinho e a madrinha que haviam acabado de chegar.

- Pare com isso Naruto, Ero-sennin é o senhor seu pai.

- Eu já lhe disse para não me chamar de baa-chan moleque.

Enquanto dizia isso dava um cascudo no jovem Uzumaki o que rendeu muitas gargalhadas, até o patriarca da família se manifestar.

- Jiraya-sensei, Tsunade-sama, sejam bem vindos, espero que tenham tido uma bela viagem.

- Sim tivemos, e como andam as coisas por aqui, onde está a sua noiva Naruto, pera ai, errei, sua esposa, quero cumprimentar.

Nessa hora Jiraya se cala e observa a família que começou a emitir uma aura de ódio e repara no rosto de Naruto e vê um semblante triste e pergunta.

- O que houve?

Menma começa a narra para os recém-chegados o que ocorreu no casamento até um pouco antes da chegada dos dois e rosto dos dois mostravam quão indignados estavam.

- Eu não sabia, quem essa garota pensa que é para fazer isso com você Naruto?

- E depois de ter ajudado e ensinado o que sei aquela ingrata faz isso.

- Eu não sei eros-sennin, baa-chan. Ela disse que era vingança por eu ter atrapalhado o grande amor dela quando tínhamos 12 anos, mas isso não me importa. Baa-chan a senhora pode ajudar o Menma-nii nessa empreitada, eu não vou poder agora de inicio, porque vou está viajando por alguns dias, quero esquecer a Sakura.

- Claro que sim, Naruto, e se tudo der certo com você assumindo o hospital irá nos ajudar e muito né Kurama.

- Claro velhota, vamos revolucionar.

Ao terminar a frase Kurama leva um belo cascudo por chamar Tsunade de velhota, mas todos ficaram surpresos por eles dois estarem trabalhando juntos em algo, já que Kurama não era um exemplo de pessoa que trabalha em grupo e todos sabiam disso por isso Naruto perguntou o que todos estavam querendo.

- O que vocês andam desenvolvendo que se ganharmos o hospital ira ajudar.

Os dois se olham e Kurama responde.

- Segredo, mais saiba que se der certo nós vamos revolucionar, quebrar paradigmas e de quebra ficar mais famosos, conhecidos e um pouco mais ricos.

Disseram isso em meio a risos o que deixava a família mais interessado no que aqueles dois estavam aprontando.

- Com certeza, nosso nome e o nome do conglomerado Konoha ficará na historia, mais Naruto você vai mesmo viajar? Já sabe para onde vai ou vai decidir no aeroporto?

- Não, ainda não sei para onde vou, só sei que será para um lugar que eu possa parar de pensar na Sakura e comece a seguir novamente a vida.

- Esse é o meu filhado, igualzinho ao padrinho.

- Deus me livre, já pensou se meu bebê fica igual ao Jiraya-sama, nunca que a mamãe vai deixar isso acontecer, bebê.

Uma nova crise de riso se abateu sobre a família Uzumaki e em seus convidados, depois daquilo, Naruto partiu para a viagem que mudaria a sua vida para sempre.

-------------------Apenas uma Noite-------------------

Do outro lado da cidade se encontrava uma mãe desesperada, porque seu filho sem explicação nenhuma se trancou no quarto e não queria sair, ela se viu aliviada com a chegada do filho mais velho de uma viagem de negócios.

- Itachi, que bom que você chegou, será que você consegue conversa com seu irmão, ele está a mais de uma semana trancado dentro do quarto.

- Mãe, o que foi que aconteceu para ele se trancar assim?

- Eu não sei, só sei que na semana passada ele chegou entrou no quarto e não saiu mais.

- Hum, eu vou lá falar com ele.

E com o termino dessa fala ele sobe as escadas rumo ao seu quarto, chegando lá ele pegar uma chave da gaveta e rumar ao quarto do caçula e sem bater ele abre a porta e adentra o cômodo vendo o quarto todo destruído e o mais novo deitado na cama ele se joga em cima do mais novo na cama.

- Vamos lá Sasuke, desembucha o que aconteceu? A mamãe está preocupada com você.

Enquanto repetia a mesma pergunta ao menor pulando sobre a cama.

- Dá para parar com essa criancice Itachi, nada aconteceu.

- Ah, tá, e eu virei à branca de neve, conta outra Sasuke, desembucha logo.

- Você acabou de destruir a historia da branca de neve a deixando feia.

Falou o menor com sarcasmos na voz e continuou.

- E não aconteceu nada Itachi, e sai de cima que não estou com paciência hoje.

- E quando você está com paciência?

O mais velho falou em quanto deu um peteleco na testa do mais novo e continuou.

- Isso tem algo haver com o Sai.

Ao ouvir isso os olhos do mais novo se encheram de lagrimas, vendo aquele ato o mais velho suspirou pois havia acertado na mosca o porque daquele estado lastimável do irmão e assim ele se pois a continuar.

- Antes de você começar, eu já sabia do relacionamento de vocês a bastante tempo, então o que ocorreu?

O jovem Uchiha somente abaixou a cabeça e começou.

- Ele terminou comigo.

- O que? Por quê?

O mais novo só mantinha a cabeça baixa e começou a narrar o que aconteceu.

FLASH BACK ON

Era sexta, dia do encontro dos dois, Sasuke estava esperando Sai em seu escritório, quando o mesmo bateu e adentrou sinalizando que já podiam ir, e assim rumaram a um motel onde depois de mais uma noite quente entre os amantes, Sasuke estava deitado na cama olhando para o teto até ver seu namorado se levantar e começar a andar pelo quarto recolhendo a roupa em silencio.

- Aonde você vai Sai?

- Já estou indo embora?

- Mais já? Fica, podemos curtir mais um pouquinho.

- Acho que não vai dar.

Sai estava terminando de se vestir enquanto falava e assim que terminou se virou para Sasuke.

- Sasuke, eu vou me casar.

O mais jovem travou.

- Você está me ouvindo Sasuke? Essa é a ultima vez que isso ocorre.

O mais velho falava com a voz sem sentimento algum, ele se levantou e começou a caminhar rumo à porta do quarto do motel.

- Adeus, Sasuke.

Naquele momento o mais novo destravou e correu assim conseguindo segurar a mão do mais velho e começou a dizer.

- Por que Sai? Nós estamos felizes, por que acabar com o que temos?

Apesar do jovem Uchiha falar normalmente e seu semblante ser um tanto quanto estoico, por dentro estava angustiado e desesperado pelo que acabará de escultar e seu peito se apertou ainda ao ver a maneira fria em que o mais velho se virou e o olhou, era fria e sem sentimentos e o que veio a seguir o feriu ainda mais.

- E o que temos Sasuke? Nós não temos nada, foi só sexo. Você acreditou naquele lenga, lenga de eu te amo, ah faça-me um favor né Sasuke, cai na real, nós vivemos a realidade, foi só prazer.

As palavras que Sai disse conseguiu chocar o jovem que agora podia se ver seus olhos marejados com choque do que acabará de escutar e pela primeira vez no relacionamento dos dois Sai viu aquela face estoica se desfazer e mostrar angustia, era possível ver que o mais novo de todas as formas tentava não acreditar nas palavras que ele ouvia.

- Você está brincando né? Por favor, diga que isso é uma brincadeira, diga que você não esta fazendo isso comigo.

- Ah Sasuke, me poupe dessa frescura, aceite como homem, ou não, você acha mesmo que eu iria investir em você ou em uma relação homossexual, faça-me rir, até parece, eu só estava me divertindo, amanhã estarei indo viajar com a minha noiva, vamos curtir um pouco antes do casório, ah! E tem mais, eu estou saindo da Uchiha Engenharia, não preciso mais da esmola que vocês me pagam, a minha noiva é rica, quando nos casarmos vou assumir os negócios dela e não tenho tempo para mendigar esmola dos Uchihas.

O mais novo estava estático sem palavras com as palavras que acabara de escutar e assim ele viu o mais velho se distanciar até chegar à porta do quarto e vira novamente para vê o jovem, e ali ele sorriu, um sorriso de escarnio para o jovem que estava em choque com aquela situação, dos olhos do Uchiha era possível ver que o mesmo o tinhas com lagrimas solitárias, o coração dele mais uma vez havia se despedaçado podia se ouvir o estilhaçar do coração do mais novo que caminhou de volta a cama como um ser sem vida e ali se enrolou nos lençóis em choque pelo que ouviu e pelo rosto do ex que se movia em um sorriso de escarnio e deboche do jovem.

E não contente com isso, o mais velho ainda se põem a pisar mais no jovem.

- Fala sério Uchiha, quem iria querer um cara arrogante, metido, prepotente, frio para algo além de se divertir, porque na cama você é um delicia a ser devorada mais fora dela tirando sua aparência você é uma merda.

O mais velho saiu do quarto rindo, enquanto o mais novo estava lá paralisado olhando para a porta com lagrimas brotando constantemente dos olhos sem emitir um som sequer, agarrado no lençol como se o mesmo lhe protegesse, segundos, minutos, horas se passaram quando ele novamente se mexeu da cama, o mais novo se mexia como um robô se vestindo e saindo daquele local ao chegar em casa o jovem passou pela sua mãe sem cumprimento nenhum e seguiu direto para o seu quarto, a senhora Uchiha estranhando aquele comportamento o seguiu ao chegar a porta só ouviu as coisas caindo e se quebrando dentro do quarto e um choro sufocado, aflita ela começou a bater na porta sem obter resposta o barulho das coisas se quebrando havia cessado mais o choro não, ele ainda podia ser ouvido, a senhora Uchiha que mesmo estando na casa dos 40 não aparentava mais de 25 continuava a bater na porta do quarto aflita até vê a porta se aberta em uma pequena fresta por onde somente o rosto do mais novo podia ser visto.

- Meu filho o que aconteceu, está tudo bem com você meu filho?

- Está sim mãe, eu só preciso ficar sozinho agora.

- Filho...

- Por favor, mãe.

- Só não faça nenhuma loucura, me promete isso que eu saio.

- Está bem, eu não vou fazer nenhuma loucura, só me deixe sozinho.

A senhora Uchiha se afastou mesmo a contra gosto e tornou a ouvir o choro, ela estava preocupada com o seu filho, o mais novo por mais que não parecesse para os outros era muito sensível seu rosto sempre mostrava frieza e para fazê-lo chorar tinham lhe machucado profundamente, ela se afastou mesmo não querendo, pois conhecia o filho e sabia que naquele momento ele precisava muito ficar sozinho, além do mais sabia que em qualquer situação chorar faz bem para limpar a alma e o coração, colocar tudo para fora, ela não sabia o porquê do filho está naquele estado, mas torcia pela melhora do mesmo, cinco dias haviam se passado e Sasuke ainda se encontrava no quarto, nesse período ninguém entrou nem incomodou, somente sua mãe estava mais aflita e nervosa, o filho sempre trancado no quarto, só abrindo para pegar a comida que sua mãe trazia e que muitas das vezes era devolvida sem nem mesmo ter sido tocada, ela estava começando a se desespera. Enquanto isso dentro do quarto Sasuke estava deitado imóvel, seu telefone tocava irritantemente ele sabia que deveria atender já que estava ali parado a tempo demais, ele compreendia que o mundo não iria parar por causa dele só que parecia que não tinha forças e o telefone continuava tocando até que parou ele suspirou satisfeito, mas ao ouvir seu celular tocar ele levantou, aquele celular era somente para emergências de alto nível e se estavam ligando ali era problemas, ele suspirou porque já tinha problemas o suficiente mais mesmo assim atendeu.

- Alô?

- Sasuke?

- Não o papa, o que você quer Shisui?

- Sasuke, temos um problema muito grande em mãos.

- Eu sei, já que você ligou nesse numero, o que foi?

- Sasuke, nós fomos roubados.

Nesse momento aquilo o despertou.

- O que foi que você disse?

- Nós fomos roubados.

- Como?

- Sasuke, faz quase uma semana que o Sai não vem à empresa e nem deu aviso, e eu estava precisando de alguns documentos que estavam com ele, fui à sala dele ver se encontrava já que não conseguia entrar em contato foi quando achei varias movimentações bancarias, eu estranhei tudo, mas fui observando os documentos até que vi que os documentos nada mais eram do que documentos que mostravam o desvio de dinheiro das nossas contas para as contas dele e muitos outros esquemas, entrei em contato com alguns clientes e vi que todos os projetos que estavam com o Sai tinham problemas e quando fui verificar constatei varias ilegalidades nos materiais e nos valores do mesmo, isso poderia afundar a empresa, pedi ajuda de uns amigos e consegui rastrear aonde o dinheiro está, mas estou tendo problemas para conseguir o estorno do dinheiro e estou precisando da sua ajuda.

- Ok Shisui, me manda os dados por e-mail que vou dá uma olhada e vejo o que posso fazer.

- Sasuke, eu preciso de você aqui na empresa.

- Sinto muito, mas eu não vou pisar os pés ai, manda tudo para mim que vou resolver daqui.

Depois daquilo o jovem Uchiha passou dois dias direto até conseguir que o dinheiro fosse devolvido a Uchiha engenharia, mas seu coração mais uma vez quebrou por saber que Sai além de tê-lo usado, também o havia roubado e mais uma vez ficou naquela cama sem saber que direção tomar.

FLASH BACK OFF

Escutando aquela historia estava o irmão mais velho que estava perplexo com tudo aquilo que lhe fora contado, em meio a tudo que ele estava sentindo ódio era o sentimento mais fichinha que ele carregava, ele simplesmente levantou pegou as malas do jovem e começou a arruma-la o mais novo estava só olhando.

- O que você está fazendo Itachi?

- Você não está vendo, eu estou arrumando as suas coisas?

O mais novo se desesperou por dentro por mais que não demonstrasse pelo exterior, ele estava com medo que o mais velho o mandasse embora, pois depois do que o pai havia feito Itachi tinha em mãos todas as posses da família mesmo parte de Sasuke estava em suas mãos.

- Itachi, eu sei que eu errei mais eu não vou embora de casa.

- Otouto, quem disse que você vai embora de casa?

- Mais você pegando minhas coisas e jogando em uma mala o que eu deveria pensar.

- Sasuke, você se você não percebeu já passou uma semana desde o que aconteceu e se você não notou eu vou fazer você notar que não vale apena se lamuriar por aquele ridículo, então eu estou te dando férias e te mandando viajar para bem longe, vá e coloque a cabeça em ordem e depois quando você estiver bem novamente você poderá voltar antes disso não.

- Itachi isso é o mesmo que me expulsar de casa, quem voc...

O jovem Uchiha se calou sobre o olhar do mais velho.

- Sasuke, não começa, isso é para o seu bem, você vai e acabou!

Terminando de jogar as roupas do menor dentro da mala o mais velho continuou.

- Otouto, você vai ao aeroporto e pegue o voo que achar melhor ou vá à estação e pegue o trem para o lugar do país que quiser, mas quero você fora daqui e só volte quando tiver melhorado, não vou ficar aqui consolando um Sasuke depressivo, meu irmão não é assim, ele é forte, inteligente e um ótimo advogado, e ele não se deixaria abater por causa disso, ele seguiu em frente mesmo quando o seu primeiro amor partiu seu coração mesmo ele ainda gostando desse, ele enfrentou nosso pai preconceituoso e uma sociedade preconceituosa se assumindo e não vai ser um zé-ninguém que vai te derrubar.

Parecia insensível o mais velho manda o irmão sair de casa e viajar sem consola-lo, porém ele conhecia seu irmão caçula melhor que ninguém e naquele momento o que o caçula precisava era nada mais nada menos que um pequeno choque de realidade e de semancol, e era isso que ele estava tendo e por mais que a face estoica de fora não manifestasse por dentro agradecia ao seu aniki por esta fazendo o que ele não tinha forças para fazer sozinho. Mal sabia ele que essa viagem mudaria sua vida.

-------------------Apenas uma Noite-------------------

Ali naquele aeroporto havia vários tipos de pessoas, pessoas preparadas para curti as férias em outros lugares, pessoas felizes iniciando nova vida, pessoas apostando em oportunidades conseguidas, pessoas que buscavam a felicidade, pessoas que se preparavam para a morte e pessoas com o coração destruído e sombrio estavam tentando seguir em frente ou ir novamente atrás daqueles aquém amam e um loiro e um moreno não eram diferentes, estavam seguindo em frente do jeito que lhes fora ensinado, ali estavam decidindo que rumo dá nessa viagem, para eles não era uma fuga, era crescimento que teriam, quando ouvem.

- Primeiro chamada para o voo XXX para Las Vegas, Estados Unidos.

Os dois pediam mentalmente para que ainda houvesse vaga e assim correram encontrando cada um uma vaga para o voo as últimas a serem vendidas e por destino (ou pelo autor mesmo, kkkkk) elas eram suas, estavam lá na primeira classe, mas não se encontraram, pois estava na frente e outro estava atrás em pontos contrários mais mesmo assim no mesmo lugar, a viagem foi longa e mesmo assim passando horas no mesmo lugar eles não se cruzaram e nem mesmo no mais rápido vislumbre cruzaram os olhares, porem mais uma vez o destino quis que estivessem perto um do outro, chegaram um atrás do outro no mesmo hotel, alugaram quarto um ao lado do outro mais nunca se encontraram, o destino conspirava para eles.

Um dia.

Dois dias.

Três dias.

E eles ainda nem haviam se encontrado, eles aproveitavam da cidade da “perdição”, assim chamam os religiosos, eles tentavam de todas as maneiras esquecerem os algozes que causaram seu sofrimento, mas era difícil, eles sabiam que não amavam aqueles que quiseram destruir seus corações, entretanto, mesmo não amando sentiam um carinho enorme por eles, gostavam deles de verdade, fizeram de tudo por eles e mesmo assim foram pisados, amassados e destruídos por aqueles aquém quiseram entregar seu coração, aquele quarto dia foi o dia em que ficaram o dia inteiro em seus quartos lamentando pelo que o destinos os havia feito, por como estavam lá se lamuriando e amaldiçoando por está medíocres, dignos de pena e ali mais uma vez eles tomaram a decisão de viver e esquecer aqueles que fizer mal, e se por destino a oportunidade surgisse eles dariam o troco, não uma vingança para acabar com a vidas deles mais sim uma lição para verem o que perderam e lamentarem suas escolhas, seguir em frente, era para isso aquela viagem servia e era isso que começava a ocorrer no quarto dia e foi nesse dia que em apenas uma noite o destino mudou a vida dos dois.

-------------------Apenas uma Noite-------------------

TRIIIIIIIIIIIIM – TRIIIIIIIIIIIIIIM (Imaginem o som que quiserem para ser o toque de chamada deles)

Era de manhã e dois telefones tocavam irritantemente, um loiro procurava com os olhos fechados o aparelho, sua cabeça parecia explodir com aquele som irritante, do lado contrario da cama havia também outro som que um moreno que estava daquele lado tentava silenciar, porque sua cabeça latejava de dor e assim os dois continuaram a procurar os responsáveis pelo barulho até que suas pernas em um movimento para silenciar os aparelhos se tocaram, e pareceu haver uma corrente elétrica passando entre os dois, eles pararam e viraram um para o outro e assustados perguntaram.

- Quem é você?

25. Februar 2018 23:27:02 0 Bericht Einbetten 5
Lesen Sie das nächste Kapitel Escolhendo Recomeçar

Kommentiere etwas

Post!
Bisher keine Kommentare. Sei der Erste, der etwas sagt!
~

Hast Du Spaß beim Lesen?

Hey! Es gibt noch 2 Übrige Kapitel dieser Story.
Um weiterzulesen, registriere dich bitte oder logge dich ein. Gratis!