kjmbangtan J-Juh⁷ 🦋

[TWO-SHOT] Só tem poucas coisas que Kim Taehyung gosta: sua gatinha Marie, seu ursinho de pelúcia Santiago, filmes de romance, e tudo é ainda melhor quando estão juntos. No sábado, tudo o que Taehyung quer, é maratonar filmes de romance, abraçando Santiago, com Marie deitada ao seu lado. O problema é que Taehyung havia esquecido que prometera a seu melhor amigo Hoseok, que iria acompanhar ele no Villa Mix Goiânia que ia acontecer naquele mesmo dia. E da plateia, Taehyung chama a atenção de Jeongguk, o cantor sertanejo do momento, que vai fazer de tudo para tirar uma lasquinha de Taehyung e levá-lo para o seu camarim para curtirem juntinhos. Villa Mix | Goiânia | pwp | +18 - Capa feita por @tiatkkk - Betagem feita por @antarestae - Plágio é crime Postada: 25/06/2021


Fan-Fiction Bands/Sänger Nur für über 18-Jährige.

#gay #lgbt #bts #hoseok #jungkook #vkook #taekook #kookv #taehyung #boyxboy #jeongguk #pwp #bangtanboys #bangtan #jktop #topjk #vottom #taebottom #cantor #show #lgbtqi #sertanejo #camarim #pwptaekook #tkvillamix #tkvmix #villamix
2
1.4k ABRUFE
Abgeschlossen
Lesezeit
AA Teilen

Capítulo Único: No Camarim de Jeon Jeongguk

Oi gente, essa é minha primeira one shot e eu tô nervosa, vou nem mentir.

Eu já estava há umas semanas pensando em escrever uma one shot dos Taekook em Goiânia, mas não sabia que plot escrever. Então veio o Muster e a Emi mandando a foto dos Taekook, e eu fui limpar a casa e me veio o plot na hora, já fui logo anotando para não esquecer. Na verdade, limpando a casa, me veio mais três plots além desse, que pretendo escrever futuramente.

Antes de vocês começarem a ler, tenho alguns avisos para vocês:

– Essa capa maravilhosa foi feita pela tiatkkk, e eu estou apaixonada, ficou do jeito que eu imaginava.

– A betagem foi feita pela linda antarestae, muito obrigada por isso. Sua ajuda foi imprescindível.

– Todas as músicas cantadas pelo Jeongguk são autorais de outros cantores (claro), porém na OS vão ser autorais dele.

– A história se passa no ano de 2018, mas algumas músicas vão ser de lançamentos após 2018.

– Usem a tag #TKVMix no Twitter pra eu ver os comentários de vocês e o que acharam da One Shot, meu user é @kjmbangtan

– A fic é uma PWP e, por favor, não deem risadas porque é chato e constrangedor. É minha primeira one shot e eu sou bem insegura, me dediquei muito a essa escrita.

– Comentem bastante e deixem seus votos, isso deixa uma autora feliz. São quase 12k de palavras para vocês se deliciarem.

– Fiz uma mini playlist com as músicas que usei para escrever essa one shot, e caso queiram ouvir o link dela é:

https://open.spotify.com/playlist/4GQCMBa2nlhLh4werYHdbR?si=fKPjIrpbTbKJCU7aPsaUFQ&dl_branch=1

– Stream em Butter


XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX


15 de maio de 2018
Goiânia – GO


Se tinha uma coisa que Kim Taehyung amava era sua vida e seu conforto. Ele havia se formado em enfermagem na PUC-GO aos seus 23 aninhos e no mesmo ano conseguiu um emprego no hospital Jacob Facuri. Tinha um apartamento bem localizado no Setor Bueno — que ele ainda estava pagando — e sua filha Marie, uma gatinha preta de olhos verdes que era totalmente mimada por Taehyung. E claro, também tinha o seu melhor amigo, Jung Hoseok, um fisioterapeuta que morava no andar de cima do prédio e adorava uma boa cerveja, assim como Taehyung.

Os dois melhores amigos se conheceram na PUC, quando tiveram algumas aulas juntos por conta da grade curricular de seus respectivos cursos. Hoseok, por ser uma pessoa tagarela, acabou puxando assunto com Taehyung e dali nasceu uma bela amizade.

Hoseok e Taehyung eram muito diferentes apesar de tudo, mas ainda assim, conseguiam fazer a amizade funcionar de diversas maneiras. Adoravam falar da vida dos outros moradores do prédio e até de pessoas do trabalho, enquanto tomavam uma Skol geladinha com a TV ligada no canal da Globo. Seus gostos musicais eram bem diferentes, enquanto Taehyung era apaixonado por MPB, Hoseok era fã de sertanejo, pagode e funk, mas eles conseguiam se organizar para que os dois conseguissem escutar o gosto de cada um quando estavam juntos.

Outra coisa que Taehyung amava: filmes de romance. Apaixonado pelos clichês das telinhas, quando estava de folga sempre aproveitava a Netflix para assistir um filme romântico que o fazia chorar. E neste sábado, Taehyung já tinha o seu dia todo planejado: passaria o dia no seu sofá cama, abraçando o seu ursinho de pelúcia Santiago, com Marie deitada ao seu lado e maratonando filmes de romance, e começaria por Titanic, seu favorito.

Taehyung dormiu naquele dia até mais tarde, depois de almoçar, ele limpou a sua casa e foi no mercadinho. Havia comprado vários pacotes de M&M's e Fini's para comer enquanto chorava pelos casais dos filmes, e estava satisfeito com os planos para seu dia de folga. Sua noite tinha tudo para ser perfeita. Seria tudo perfeito!

Até...

O barulho da campainha já fez Taehyung suspirar irritado, porque estava preparado para dar play no filme do Titanic e até usava o seu pijama de arco-íris enquanto segurava Santiago com uma das mãos. Pelo toque da campainha, Taehyung já sabia que era Hoseok à porta, já que o seu melhor sempre apertava a campainha como se estivesse tocando uma música que Taehyung não conhecia.

Mas o que esse homem quer comigo às 14h?

Quando Taehyung abriu a porta, se deparou com seu melhor amigo todo produzido usando uma calça jeans capri preta com rasgos nos joelhos, uma blusa de botões cinza com estampa de flores vermelhas e rosas com os dois primeiros botões abertos e expondo sua clavícula, nos pés trajava botas pretas e Taehyung pôde perceber e confirmar que o amigo estava realmente muito lindo. Mas também pôde confirmar que se o amigo estava sorrindo daquele jeito, é porque ele queria que Taehyung fosse em algum lugar com ele e Taehyung não iria. De jeito nenhum ele sairia de casa no dia da sua folga. Depois de dois dias de plantão ele teria o fim de semana de folga e não fazia parte dos seus planos sair de casa. Estava mais do que decidido que ele não acompanharia Hoseok em lugar nenhum.

— Oi amigo — Hoseok cumprimentou-o, sem tirar o sorriso dos lábios.

— Nem vem — Taehyung já foi o interrompendo. — Eu não caio nessa não, amigo.

— Sinto te dizer que você não tem escolha — Hoseok então levanta uma das mãos na mesma altura que o rosto de Taehyung e só então percebe que o fisioterapeuta estava com dois ingressos na mão. Taehyung não fazia ideia do que era Villa Mix, mas também não queria saber.

— Não faço ideia do que isso significa, mas não quero ir — Taehyung sorriu cínico — Mesmo assim, muito obrigado pelo convite, amigo.

E Taehyung fez menção de fechar a porta para fugir do melhor amigo, mas ele foi esperto e colocou o pé antes que a porta se fechasse, empurrando a porta e entrando no apartamento do Taehyung sem pedir licença, afinal, tinham intimidade para isso.

— Eu não vou sair — Taehyung já foi logo dizendo, cruzou os braços e fez um bico emburrado.

— Por favor Tata... — Hoseok implorou com as mãos juntas — Te pago um x-tudo com um creme de maracujá do jeito que você gosta lá no Pit Dog do Jairinho.

Hoseok sabia tocar nos pontos fracos de Taehyung e já começou a subornar com um x-tudo e creme de maracujá, tudo que Taehyung mais amava: comer de graça. Só que mesmo essa oferta tentadora não foi o suficiente para que Taehyung aceitasse sair por isso.

Vaza amigo, eu quero ficar maratonando filmes de romance no meu sofá em paz — Taehyung continuou negando sair de casa — Nem adianta me olhar assim, não vou ficar dando trela pra você não.

— Pois eu vou continuar pelejando com você até aceitar — Hoseok insistiu. — Tata, eu pago uma pamonha da Dona Maria pra você amanhã, bem quentinha e cheia de queijo... humm... você gosta que eu sei.

Anêim, para de tentar me comprar com comida, eu...

— Nossa, como você é custoso — Hoseok interrompeu Taehyung — Tá' bom Tata, já que você não está contribuindo pro nosso rolê, eu vou ter que fazer isso...

— Você tá me estrovando, isso sim. Larga mão disso!

— Taehyung, você prometeu que iria no Villa Mix comigo — Hoseok argumentou — Promessa para mim, é dívida.

O enfermeiro não se lembrava de nenhuma promessa que havia feito para Hoseok, até porque, não fazia sentido que Taehyung tenha prometido algo assim, sendo que ele nem gosta de shows do mesmo estilo que Hoseok.

— Eu nunca fiz isso! — Taehyung negou, levantando o indicador para o teto e Hoseok revirou os olhos.

— Ôh, seu mocorongo! — Hoseok deu um pedala na cabeça do melhor amigo — Você é muito esquecido mesmo, tem base um trem desse?

Hoseok então puxa o seu aparelho celular do bolso da sua calça novinha. Taehyung fica confuso enquanto Hoseok mexe no aparelho em silêncio, mas espera para ver o que o amigo tem a falar, por mais que ele queira mesmo é fechar a porta na cara do fisioterapeuta e voltar para os seus filmes de romance.

— Como eu conheço o amigo que eu tenho — Hoseok sorriu arteiro para Taehyung — eu gravei você me prometendo que iria comigo no Villa Mix.

Então Hoseok vira a tela do celular para Taehyung assistir o vídeo que ele deu play. São somente 10 segundos de vídeo, com Taehyung sorrindo para o amigo e falando "Então tá bão, eu vou com você nesse trem de Villa Mix em maio", e pra piorar tudo, Taehyung ainda acrescentava no final "Os dois dias".

Hoseok guarda o celular no bolso sem tirar aquele sorrisinho vitorioso dos lábios e Taehyung jurava que poderia socar o amigo, o que não seria novidade, já que eles trocaram uns socos algumas vezes.

— Vou com você pra te ajudar escolher sua roupa — Hoseok foi empurrando Taehyung, que sem escolha caminha até o quarto, não sem antes encarar sua TV, com o filme pausado no início, e choramingar.

— Hoseok — ele continuou a choramingar — não faça isso comigo, eu nem sei o que é esse Villa Mix e não lembro dessa promessa.

— Por isso mesmo eu gravei, para confirmar que você realmente iria comigo quando o dia chegasse — Hoseok abre o guarda-roupa do enfermeiro e começa a olhar as roupas. — E sobre o Villa Mix, é só o melhor festival de música sertaneja que existe. Vêm vários cantores cantar e dura dois dias, vai ser incrível! Jeongguk vem nessa edição e estou empolgado para ver ele nos palcos.

— Quem é esse?

— É um cantor que estourou aqui em Goiânia e depois no Brasil todinho, você deve ter ouvido alguma música dele por aí.

Com certeza Taehyung não tinha ouvido nenhuma música desse cantor Jeongguk, o nome nem lhe era familiar. E sertanejo não é o tipo de música que Taehyung escuta, já que seu estilo musical se resumia a Caetano Veloso, Tim Maia, Cazuza, Elis Regina... Enfim, só MPB. Taehyung e Hoseok realmente não tinham um gosto musical parecido.

— Qual a graça de eu ir com você? Eu nem vou me divertir lá! — Ele cruzou os braços fazendo um bico enorme e Hoseok riu. Taehyung sempre fazia esses bicos e cruzava os braços quando queria fazer birra ou quando as coisas começavam a não dar certo para ele. Na maioria das vezes, Hoseok tinha dó do amigo, mas dessa vez ele não teria mesmo.

Dô conta não!

Hoseok pegou algumas peças de roupas e colocou na cama de Taehyung, ignorando o melhor amigo bufar ainda com os braços cruzados e o bico nos lábios. O fisioterapeuta suspira ao encarar Taehyung naquela mesma expressão e caminha até o amigo.

— Escuta aqui, seu caboco — Hoseok começa — Não me faz te dar uma rasteira não, me prometeu que ia. Uai, tá querendo dá pra trás agora? Tata, a gente não tem saído juntos há um tempinho e essa é uma ótima oportunidade para nos divertir, vai ter muita cerveja lá e eu pago as suas 5 primeiras latinhas.

Aquilo sim era uma proposta tentadora e, além disso, Hoseok tinha razão quando disse que eles não tinham saído juntos ultimamente. Os plantões de Taehyung não estavam batendo com os de Hoseok e eles estavam sem tempo até para fofocar e beber cerveja no apartamento do mais velho.

— Vai ou quá? — Hoseok havia percebido que tinha mexido com o melhor amigo ao fazer aquela proposta, então insistiu mais um pouquinho. Taehyung não resistiria, eram cinco latinhas de cerveja. De graça!

— Eu quero cinco latinhas hoje e cinco latinhas amanhã — Taehyung fez uma proposta que o beneficiaria mais um pouquinho — e eu ainda vou querer a pamonha da Dona Maria amanhã.

— Fechado! — Hoseok sorriu vitorioso e apertou a mão do amigo para firmar o trato — Agora vai se arrumar que já vamos, quero um lugar perto do palco.

Taehyung poderia até se arrepender de sair de casa neste fim de semana, mas pelo menos ele ganharia cerveja grátis e de quebra, uma pamonha doce da melhor pamonharia de Aparecida de Goiânia.

O Kim não demorou a se arrumar, já que havia tomado um banho relaxante antes de se deitar no sofá, então apenas vestiu a roupa escolhida por Hoseok. Taehyung gostava de se vestir bem e sempre escolhia suas roupas a dedo e sozinho, mas dessa vez, gostou do look que Hoseok havia montado para si: uma calça creme larga nas pernas, uma camiseta branca lisa que ele colocou por dentro da calça, e um sobretudo amarelo que Taehyung havia comprado há duas semanas e não teve a oportunidade de usar até esse momento. Calçou seus sapatos brancos e ajeitou os cabelos cacheados.

Enquanto passava uma maquiagem leve no seu rosto, escutava Hoseok disparando elogios para o tal Jeongguk que se apresentaria nos dois dias do Villa Mix e ele tinha que confessar, estava curioso para saber se o cantor era tão bonito quanto Hoseok falou.

— Estou pronto — Taehyung se virou para Hoseok, interrompendo mais um dos elogios do melhor amigo.

— Tá um gatinho — Hoseok fez um joinha na direção do outro — Então vamos, já chamei o Uber e já está chegando, vamos descer logo.

Taehyung deixou um beijo na sua filha antes de sair, como sempre fazia e recebeu um miado de volta.

— Eu sei meu bebê, eu também queria ficar, mas seu tio Hoseok é paia demais e muito insistente — ele fez mais um draminha, dessa vez só para irritar o melhor amigo.

Hoseok bufou e fez um carinho na cabeça de Marie, a gatinha se inclinou toda para ele, querendo pular no seu colo. Taehyung quis a chamar de traidora, já que ela estava querendo ir para os braços do homem que estava fazendo ele sair.

— Vai ser massa demais e seu papai vai adorar, não vai nem querer vir embora.

— Dúvido — Taehyung virou a cara e o fisioterapeuta riu divertido.

— Vamos logo para eu comprar sua Skol — Hoseok falou e Taehyung até abriu um sorriso ao ouvir as palavras poéticas saírem da boca do melhor amigo. Depois de trancar o apartamento, os dois vão para o elevador e como se Hoseok lembrasse de algo, ele se vira rapidamente para o melhor amigo — Você não vai acreditar quem eu vi entrando no apartamento da Renatinha do 612, a pessoa estava aos beijos com ela ainda por cima...

Dentro do elevador, Hoseok contou toda a fofoca para Taehyung que ficou abismado ao saber que a ex-cunhada da Renatinha estava aos beijos com ele hoje antes de entrarem. Aquilo sim era fofoca das boas!


🎤


— Amigo, isso aqui está lotado! — Taehyung reclamou assim que eles entraram no espaço em que ocorreria o evento. Hoseok estava segurando sua mão para que eles não se perdessem um do outro, Taehyung apertava sua mão forte, com medo de ficar perdido.

— A gente vai ficar ali na frente e perto do bar, então não vamos precisar andar muito e corremos menos riscos de nos perdermos um do outro — Hoseok explicou seu plano — Qualquer coisa, mandamos mensagem.

Taehyung concordou enquanto Hoseok indicava um local bom para eles ficarem, eles foram passando pelas pessoas, pedindo licença e às vezes desculpas quando pisavam no pé de alguém. Chegaram no lugar onde Hoseok havia indicado e o fisioterapeuta acabou esbarrando em uma mulher bonita que estava olhando para o palco, onde cantava uma dupla que Taehyung nunca viu na vida.

— Foi mal — Hoseok gritou para que a mulher ouvisse.

— Tudo bem, aqui é impossível andar sem esbarrar em alguém — ela sorriu com os lábios pintados de vermelho. — Ainda bem que esbarrou em mim, trem lindo. Meu nome é Beatriz.

Estava na cara que a mulher estava flertando com Hoseok e Taehyung preferiu ficar em silêncio para não atrapalhar o esquema do amigo, já que ele parece ter gostado e entendido as intenções da tal Beatriz.

— Sou Hoseok, esse é meu amigo Taehyung.

— Oi Taehyung — Ela sorriu para ele e o enfermeiro retribuiu — Estão se divertindo?

— Acabamos de chegar. E você? Está acompanhada?


A terceira música nem acabou
Eu já 'tô lembrando da gente fazendo amor
Celular na mão, mas ele não 'tá tocando
Se fosse ligação nosso amor seria engano
Seria engano


Taehyung parou de prestar atenção na conversa dos dois e passou a observar o local que, apesar de lotado de pessoas, era bem organizado. As pistas pareciam estar separadas devidamente e Taehyung percebeu que muitas pessoas não se concentravam na frente dos palcos, elas ficavam mais perto do bar, o que tornava o local em que ele estava parado menos cheio.

O palco era bonito e colorido, Taehyung não entendia nada de organização de eventos, mas tinha certeza de que deveria dar um trabalho muito grande para montar toda a estrutura do Villa Mix e desmontar deveria ser mais cansativo ainda.

Uma dupla de mulheres, que Taehyung não fazia ideia de quem era, estava no palco cantando uma música que o enfermeiro jurou já ter escutado alguma vez, afinal, ele é amigo do Hoseok, o maior fã de sertanejo que o mundo já viu. Ele passou a se concentrar na letra, para tentar se lembrar do nome da dupla.


Garçom troca o DVD
Que essa moda me faz sofrer
E o coração não 'guenta
Desse jeito você me desmonta
Cada dose cai na conta e os dez por cento aumenta


Aí 'cê me arrebenta!
E o coração não 'guenta
E os dez por cento aumenta


Não. Ele não conseguiu se lembrar, mas com certeza já tinha ouvido essa música em algum lugar. A plateia assistindo, fazia coro para a dupla, com os copos de cervejas levantados na direção do palco. Alguns casais estavam se abraçando, outros se beijando, era uma diversidade enorme de pessoas e Taehyung até achou aquilo legal.

— Eu e a Beatriz vamos no bar comprar bebidas, não saia daqui — Hoseok falou e Taehyung assentiu. Ele voltou alguns minutos depois, com duas latinhas de Skol bem geladas e a boca de Taehyung ficou seca de tanta vontade que ele teve de molhá-la com aquela bebida, e não demorou a fazer o que sua vontade mandou.

— Qual o nome dessa dupla? Acho que já ouvi antes.

— Provavelmente ouviu mesmo, elas são bem famosas — Hoseok explicou — Maiara e Maraisa.

— Acho que já ouvi falar — Taehyung deu de ombros. — Qual é a da mulher aí? Ela tá a fim de você?

— Fomos ao bar juntos e eu já dei uns beijinhos nela — Hoseok sorriu travesso — Eu gostei dela, é direta como eu e não tem enrolação. A Bia é foda!

— Bia? Já tá assim?

— Quem perde tempo é relógio bebê — ele pisca um dos olhos para Taehyung.


Você é um problema que eu quero ter
Mesmo sabendo que eu não consigo resolver
Eu prometo que não vou te amar
Porque essa promessa
Vou fazer questão de quebrar


Sabe o que você tem
Tem sorte que 'cê beija bem
Você é a corda bamba que eu aprendi a andar


— Então, Bia — Taehyung chama a atenção da mulher —, você veio sozinha?

— Sim, meus amigos não curtem sertanejo e não quiseram vir comigo, preferi vir sozinha do que não vir — Ela dá de ombros e sorri — por quê? Está querendo beijar a boca de alguma mulher?

— Na verdade não, só queria puxar assunto — Taehyung respondeu — E eu sou gay.

Taehyung não tinha medo de falar sua sexualidade para ninguém, por isso não ficou com vergonha de revelar aquilo para uma desconhecida, mas ele sabia que, geralmente, as pessoas ficavam desconfortáveis quando ele falava isso. Beatriz não foi uma dessas pessoas, ela na verdade sorriu ainda mais e acrescentou:

— Aqui está chovendo de homem bonito pra você beijar, aproveita.

— Deixa esse trem quieto — Taehyung respondeu e Beatriz deu de ombros — Afinal, por quê chegamos na metade do show? Parece que esse trem já está na metade.

— Eu não curtia muito os primeiros cantores da tarde, os depois das 16 horas são os melhores — Hoseok explicou para o melhor amigo. — Vai ter Marília Mendonça, Matheus & Kauan, Henrique & Juliano, Jeongguk...

— Você também gosta do Jeongguk? — Bia interrompeu exasperada — Eu amo as músicas dele! Ele também é um grande gostoso!

— Ele é gostoso mesmo — Hoseok concordou e depois se virou para Taehyung — Ele faz seu tipo, Tata.

E foi aí que Taehyung sentiu ainda mais curiosidade sobre esse cantor que tanto falavam. Era tão bonito assim? A ponto de não sair da boca do povo? Só nesse pouco tempo que havia chegado no evento, Taehyung já ouviu várias pessoas comentarem sobre o quanto estavam ansiosas para quando Jeongguk subisse ao palco. E Hoseok conhecia Taehyung muito bem para saber o tipo de homem que ele se interessava, falar que Jeongguk era seu tipo o deixou um pouco interessado no cantor.

— Ficou interessado, né? — Hoseok realmente conhecia o melhor amigo. Taehyung deu de ombros, sem afirmar ou negar para o fisioterapeuta — Não se preocupe, ele vai entrar depois da Marília Mendonça.

— Marília Mendonça? Essa eu conheço!

— Todo mundo conhece a rainha.

— Mas nunca ouvi mais que duas músicas dela, você sabe.

— Como assim você não ouviu todas as músicas da Marilinha? — Bia se infiltrou na conversa, chamando a cantora de maneira intima.

— Ele não gosta de sertanejo — Hoseok respondeu pelo amigo.

Uai, mas por quê você veio logo nesse festival? Sem querer ofender.

— Fui obrigado — Taehyung fez bico ao responder e Hoseok riu.

— Subornei ele, eu prometi cerveja grátis e pamonha da Dona Maria, a melhor pamonharia do Cidade Vera Cruz — Hoseok deu de ombros, sem nem sentir um pingo de vergonha ao dizer que havia trabalhado com suborno, e Bia, pelo jeito não achou nada demais, já que ela deu risada da ideia do fisioterapeuta.

— Eu deveria ter feito isso com meus amigos, mas sou pobre demais para pagar cerveja para eles — Ela ri da própria fala — Mas eu também não recusaria uma pamonha da Dona Maria, minha mãe faz mesmo a melhor pamonha.

— Ela é sua mãe!? — Os dois amigos gritaram ao mesmo tempo e até algumas pessoas em volta olharam para o trio.

— Você precisa nos dar desconto — Taehyung pediu sem vergonha nenhuma, ele adorava receber desconto em qualquer produto que comprasse.

— Nossa — ela ri — você tá que nem meus amigos.

— Pelo menos eu vou saber onde te encontrar de novo — Hoseok deu um sorriso de flerte para a mulher.

Percebendo que Taehyung não estava incluído naquela conversa, ele se virou para o palco novamente, assistindo a mesma dupla cantar uma outra música. Elas cantaram mais duas músicas antes de uma outra dupla subir ao palco, que Hoseok — que havia parado de beijar Bia — explicou ser Henrique & Juliano. Eles já começaram com uma música que Hoseok gritou "ô sofrência" assim que os acordes se iniciaram.


No início foi assim
Terminou, tá terminado
Cada um pro seu lado
Não precisa ligar mais


Só que fui eu quem terminou
E quem foi largado não espera
Eu segui minha vida
Até ela começar seguir a dela


Taehyung viu uma garota chorando, olhando para o palco e cantando alto, provavelmente pensando no ex-namorado enquanto cantava a música e ele até se sentiu triste pela mulher.

Olhando para o lado, ele viu uma outra mulher, o encarando com um sorrisinho no rosto que dizia que ela estava interessada no enfermeiro. É nessas vezes que Taehyung vê olhares constrangidos em sua direção, quando ele conta que é gay. E não ia ser diferente, já que a mulher caminhou em sua direção, com uma garrafinha da Antárctica em uma das mãos.

Meu Deus! Como ela conseguia beber aquela cerveja ruim? Foi a única coisa que Taehyung pensou enquanto assistia a mulher caminhar até ele.

— Oi lindo — ela já foi logo colocando o dedo indicador no peito de Taehyung e sorriu para ele cheio de segundas intenções — Quer companhia?

— Não o tipo de companhia que você quer me dar — Ele deu um passo pequeno para trás, e sorriu simpático. — Eu sou gay.


E do meio pro final, eu só ia pra onde ela tava
Cada beijo no rosto que outra boca dava, eu morria de raiva
E ela tava mais linda a cada vez que eu olhava
O ciúme não tava batendo, tava dando porrada


Eu implorei pra voltar
Ela me matou na unha
Disse que eu tava solteiro
Eu tava solteiro porra nenhuma


A moça sorriu constrangida, como Taehyung já esperava, e voltou para o lugar que estava, não deu mais nenhuma olhada na direção dele, provavelmente envergonhada. Taehyung gostava mais quando as pessoas eram como a Bia e o tratavam tranquilamente quando ele falava que era gay, mas era muito raro as pessoas serem assim.

Taehyung ficou assistindo a dupla masculina cantar mais algumas músicas e logo depois deles, entrou uma mulher linda no palco, que Taehyung sabia ser Marília Mendonça. Bia gritou "Marilinha lindaaaaa" e Hoseok puxou coro com ela, provavelmente os dois já estavam chegando a ficarem bêbados. Taehyung não era do tipo que ficava bêbado facilmente e também só estava na sua terceira larinha.


A gente falava de amor
Que pena que a nossa voz já se calou
E a cama que dormimos não tem mais calor
Dois estranhos perdidos
Tão perto e distantes do amor


Rensga! — Taehyung chamou a atenção do amigo — Essa mulher tem uma voz muito linda.

— Te falei — Hoseok riu alto.

Taehyung ficou admirado, ouvindo a Marília terminar essa música e começar uma outra, que Hoseok explicou chamar "Amante não tem lar". Taehyung, ouvindo a letra, percebeu que essa mulher só tinha música de sofrimento e se perguntou se ela tinha sofrido do jeito que cantava nas músicas.


Ele te ama de verdade
E a culpa foi minha
Minha responsabilidade eu vou resolver
Não quero atrapalhar você


E o preço que eu pago
É nunca ser amada de verdade
Ninguém me respeita nessa cidade
Amante não tem lar
Amante nunca vai casar


E o preço que eu pago
É nunca ser amada de verdade
Ninguém me respeita nessa cidade
Amante não vai ser fiel
Amante não usa aliança e véu


Sua família é tão bonita
Eu nunca tive isso na vida
E se eu continuar assim eu sei que não vou ter ele


— Amigo — Taehyung chamou Hoseok novamente, depois da Marília Mendonça cantar quatro músicas — essa mulher sofre demais, ela só tem música triste! Precisa de terapia, meu Deus!

Hoseok e Bia, ao ouvirem o comentário de Taehyung, riram muito. Os dois não responderam ao comentário dele, e Taehyung não estava realmente esperando uma resposta, só sentiu vontade de fazer o comentário.

Marília Mendonça cantou mais algumas músicas, depois sorriu para a plateia se despedindo e agradecendo. Jeongguk foi anunciado logo depois e Taehyung ajeitou a postura, se preparando para ver esse cantor que todo mundo falava, queria saber se ele era mesmo seu tipo.

Uma música passou a tocar como se estivesse se preparando para a entrada do cantor, parece até que a plateia estava com as expectativas altas e Taehyung se sentiu um pouco ansioso e tenso para o que iria acontecer. A voz do cantor se pôde ouvir, antes que ele entrasse no palco:

— Boa noite minha Goiânia — ele gritou — Faz barulho aí!

E todo mundo gritou como ele pediu, a plateia foi ao delírio só de ouvir a voz do Jeongguk, que até o momento fazia mistério sobre sua entrada. Taehyung já estava quase subindo no palco e caçando esse homem ele mesmo, porque estava ansioso demais para esperar muito.


Parei, pensei, quase travei
Será, que agora eu vou passar a vez
Será que eu vou ficar de boa, pegando outra e vendo você ficar com outra pessoa


Ele começou a cantar e Taehyung lembrou que ouviu essa música mais cedo naquele mesmo dia dentro do Uber. Ele tinha que admitir que a voz do cantor Jeongguk era muito bonita e exalava uma confiança muito grande, fazendo Taehyung ficar ainda mais curioso sobre a sua aparência.


Não vou não, já dispensei a gata que eu tava
Eu vim aqui foi pra beber e passar raiva
'Tô solteiro na night, 'cê 'tá batendo muito mais que o grave


Então ele finalmente entrou no palco grande do Villa Mix. Taehyung até prendeu a respiração quando viu o homem andar do fundo do palco até a frente, uma alegria contagiante exalando dele e indo para a plateia que cantava alto a música.


Enquanto o som do paredão toca
'Cê gasta o seu batom de cereja
Eu bebo, 'cê beija, eu bebo, 'cê beija


E só então Taehyung conseguiu reparar na aparência do cantor e sentiu suspirar ao perceber que Hoseok e Bia estavam certos em duas coisas.


Enquanto o som do paredão toca
'Cê gasta o seu batom de cereja
Eu bebo, 'cê beija, eu bebo, 'cê beija


Primeiro: Jeongguk, o cantor sertanejo, era gostoso ao nível extremo e ele sabia disso. Taehyung percebeu que Jeongguk tinha consciência da sua beleza fenomenal. A primeira coisa que ele reparou, foram as coxas grossas sendo apertadas pela calça jeans branca que o cantor usava. Taehyung adorava um bom par de pernas, achava a coisa mais linda do mundo e Jeongguk tinha isso. Depois Taehyung reparou nos seus braços musculosos, o que o fez se perguntar o que Jeongguk escondia debaixo da camisa, deveria ser musculoso em todo lugar.

Mas, voltando para os braços, ele tinha o direito repleto de tatuagens, e Taehyung também adorava um homem tatuado, ele considerava isso até uma espécie de fetiche. Da distância em que estava, não conseguia ver os desenhos das tatuagens e também, a camisa amarela de botões tinha manga até um pouco acima do cotovelo, mas Taehyung imaginou que o cantor tivesse muito mais tatuagens do que as que mostrava.

Ele usava óculos de sol, então Taehyung não pôde ver a cor de seus olhos. Os lábios eram cheios, e ele tinha um sorriso muito bonito e sensual. Mas teve uma hora que ele sorriu de uma maneira tão fofa que seus dentes salientes aparecerem. Taehyung suspirou assim que ele começou a cantar uma outra música.


E pra quem era só esqueminha
Um lance de fim de semana
Por que na minha cama tu tá falando
Que me ama, me ama, me ama?


Me esconde das suas amigas
Só quer me amar no sigilo
Olha, tá trocando a noite de farra
Pra dormir comigo, comigo


Se ferrou
Tu se apaixonou


A segunda coisa, em que Hoseok estava certo é que: O cantor fazia totalmente o tipo de Taehyung. A aparência física era do jeito que ele gostava e o cantor ainda tinha aquele sorrisinho cafajeste que Taehyung adorava. Tinha o jeito de cafajeste também, daquele que fazia alguém se derreter na cama e Taehyung queria muito se derreter na cama daquele cantorzinho. Ah, se queria!


Diz que eu sou seu passatempo
Passatempo é porra!
Eu passo a mão, eu passo a língua, eu passo a boca
Eu passo a mão, eu passo a língua, eu passo a boca


E diz que eu sou seu passatempo
Passatempo é porra!
Eu passo a mão, eu passo a língua, eu passo a boca
Eu passo a mão, eu passo a língua, eu passo a boca
E vou passar a vida toda


Quando Jeongguk começou a terceira música, Taehyung jurou que o cantor o encarou intensamente por pelo menos 10 segundos, ou talvez tenha sido coisa da sua cabeça. Talvez ele olhou para aquela direção se interessando por alguma mulher, até porque ele poderia ser hétero. Da mesma maneira, Taehyung se perguntou como a plateia não percebeu o que tinha acabado de acontecer. Taehyung balançou a cabeça, querendo expulsar esse pensamento da mente, já que não queria ficar idealizando uma noite com o cantor gostoso que cantava no palco à sua frente, já que seria uma coisa praticamente impossível. Ele pensava que a porcentagem de ter uma chance com Jeongguk era de 0,01%, havia centenas de pessoas naquele evento.

— Eu não estava certo? — A pergunta de Hoseok fez Taehyung desviar o olhar do palco e encarar o melhor amigo com confusão — Sobre o Jeongguk fazer seu tipo?

— Eu tô encabulado — Taehyung assumiu — Ele é tipo, muito lindo mesmo e que voz...

Hoseok fez aquele olhar de "eu te disse, não te disse?" e Taehyung nem falou nada, porque Hoseok realmente estava certo ao dizer que o cantor fazia totalmente seu tipo.

— Vou buscar outra cerveja para nós — Hoseok pegou as latinhas vazias para jogar no lixo e foi em direção ao bar, deixando Bia e Taehyung juntos. A mulher não estava prestando atenção no enfermeiro, totalmente focada no show que acontecia no palco e Taehyung resolveu fazer o mesmo.


Vai no banheiro pra gente se beijar
Bem lá no escurinho pra ninguém desconfiar
Cara de santa mais não me engana não
É hoje que eu te pego
E você não escapa não


Meu Deus, as músicas dele só falam de pegação! Foi o que Taehyung pensou ao prestar atenção na letra e comparar com as anteriores que ele tinha ouvido. Taehyung pensou que o cantor deveria ser um safado. Ele olhou para a mão dele, verificando se havia aliança, porque o enfermeiro não curtia de jeito nenhum ficar pensando em homem casado, e por mais que houvesse a possibilidade dele ser hétero, Taehyung poderia pensar nele até que se prove que ele é realmente hétero.

A mão — sem aliança — do cantor era grande e Taehyung se perguntou como seria ter aquela mão passeando pelo o seu corpo e recebendo uns tapas dele, deveria ser uma delícia.

Pare com isso Kim Taehyung! Foi repreendido pela própria consciência, e a consciência estava certa, ele tinha que parar com isso. Tipo, parar no momento em que percebeu o que estava fazendo, mas era tão difícil parar quando um homem tão lindo quanto aquele cantor estava na sua frente, cantando com aquela voz angelical, sorrindo com aquela boca de lábios cheios e aquelas mãos... E nossa... Que mãos!

O cantor olhou para aquela direção novamente, ainda com intensidade e Taehyung suspirou onde estava. Viu algumas pessoas olharem para a mesma direção que o cantor olhava, mas quando desviou seu olhar para Jeongguk novamente, ele já estava do outro lado do palco, interagindo com a platéia de lá.

Uma nova música se iniciou e Taehyung decidiu ignorar esses pensamentos malucos que ocupavam a sua mente. Hoseok chegou com a sua última latinha de cerveja grátis e ele a abriu, querendo beber o líquido com gosto, já que a partir dali, ele compraria bebida com seu próprio dinheiro. Bebeu longos goles da Skol geladinha e voltou a encarar o palco e o cantor.


Sábado na balada
A galera começou a dançar
E passou a menina mais linda
Tomei coragem e comecei a falar


Esse cara tava brincando com a sanidade de Taehyung, era bonito demais para estar num palco e tirando suspiros da boca de toda a plateia. Taehyung jurou ter visto homens com jeito de hétero suspirando pelo cantor. O cara era...

Ele piscou para mim? Taehyung arregalou os olhos ao ver o cantor piscando, não era possível que estivesse vendo coisas onde não existia. Quer dizer, onde que o cantor conseguiria reparar Taehyung com tanta gente em volta do palco dando atenção para ele. Mas o cantor ficava muito no lado em que Taehyung estava, quase não dava a volta pelo o palco.


Nossa, nossa
Assim você me mata
Ai se eu te pego, ai ai se eu te pego


Delícia, delícia
Assim você me mata
Ai se eu te pego, ai ai se eu te pego


Taehyung apontou para si mesmo com o dedo indicador e moveu a boca sem precisar sair algum som:

— Eu?

O cantor estava cantando uma música que Taehyung não conhecia — o que não era uma novidade, já que ele não conhecia quase nada do estilo musical — quando deu uma risada sexy no microfone que ecoou por toda a platéia e quase fez as pernas do enfermeiro virarem gelatinas. E se não bastasse o cantor não desviar o olhar daquela direção, ele foi ainda mais ousado ao falar no microfone:

— Você mesmo trem lindo — e caminhou para o outro lado do palco, para interagir com o outro lado do público.


'Tá ficando complicado demais
Não dá pra esconder
O nosso amor 'tá aumentando
Eu já estou te amando
Eu quero só você


Mas o problema é seu marido
Ele 'tá procurando um dia nos flagrar
Eu já fiquei sabendo que ele anda dizendo
Que vai me matar


As pessoas olhavam na direção que o cantor estava olhando antes de ir para o outro lado do palco, querendo achar a pessoa sortuda, mas como não acharam, acabaram desistindo e pouco a pouco se viravam para a frente novamente para curtir o show.

— Eu acho que ele estava falando comigo, amiga — Taehyung ouviu uma mulher falar atrás de si. — Quer dizer, ele estava olhando pra cá.

— Vai que ele te chama para fazer uma visitinha no camarim dele? — As duas mulheres riram.

— Pra quem ele falou aquilo? Você viu? — Hoseok chamou a atenção do amigo.

— Não faço ideia — Taehyung deu de ombros.


Imagina se ele soubesse o que eu faço contigo
Quando eu faço amor
Eu te faço de laranjinha
Eu chupo você todinha
E você gostou


Não conseguia acreditar que Jeongguk reparou em Taehyung do palco e Deus... havia até piscado para si. Estava mais do que claro que o cantor estava interessado em Taehyung, ele nem sabia o que fazer com essa informação. E também nem sabia se rolaria algo, por ele ser uma figura pública, depois do show deveria dar entrevistas e autógrafos. Era meio que impossível os dois se encontrarem para dar, nem que fosse, uns beijinhos.

Será que já estou bêbado para me imaginar dando uns beijos naquele homem?

Jeongguk não havia mais dado nenhuma olhada para Taehyung pelo restante do show e o enfermeiro pensou que talvez já estivesse bêbado para ter imaginado essas coisas, mas ao mesmo tempo parecia tão real que não fazia nem sentido ele se taxar como bêbado iludido, já que esse termo não fazia do feitio de Taehyung, e também, só havia tomado 5 latinhas. Precisava de mais para ficar bêbado.

O show de Jeongguk finalizou e foi anunciada uma nova dupla para entrar no palco. Matheus & Kauan, o enfermeiro conhecia por conta da parceria deles com Anavitória em "Fica", que era uma música que Taehyung gostava muito.


'Tá viciando outra boca, como fez com a minha
Esse frio na barriga já me pertenceu
Ele só 'tá te amando desse jeito
Porque ainda não te conheceu direito
Mas o fim dessa história é sempre o mesmo


Ela vai dar sorrisos durante o beijo
Você vai gostar
Vai planejar uma vida deitada em seu peito
'Cê vai acreditar
Vai te amarrar de um jeito
Vai usar o mesmo beijo que usou pra te ganhar
Pra se despedir sem se explicar


Havia saído da pegação para a tristeza pelo jeito. Taehyung não entendia muito como as músicas sertanejas falam tanto sobre situações que as pessoas passavam de maneira românticas.


'To numa mesa com quatro cadeiras
Aqui já tem três enganados por ela
Bebendo, esperando a rasteira que você vai levar dela
Fica tranquilo, que a quarta cadeira te espera


— Amigo — Taehyung chamou a atenção do Hoseok — vou no bar comprar uma água, já volto.

Hoseok concordou e voltou a prestar atenção no show da dupla atual, Taehyung caminhou até o bar, pedindo desculpas quando esbarrava em alguém. Demorou um pouco, mas conseguiu pedir sua água e acabou encostando ali no balcão, assistindo o show mais de longe.


Fui bobo
Imaturo demais, deixei escapar entre meus dedos
Seu amor, nosso apartamento, futuro perfeito
Se eu pudesse, tentava de novo ter você aqui


Quase morro
Tentando encontrar o contato novo dela agora
Eu sei que ela já 'tá em outra e que vai embora
Mas se existe consideração, eu sei que vai me ouvir


Taehyung não estava prestando tanta atenção assim no show da dupla, já que seus pensamentos foram direto para Jeongguk, o cantor gostoso que estava no palco anteriormente. Qual é?! Ele não conseguia evitar, o moreno parecia do tipo inesquecível e Taehyung queria tirar uma lasquinha dele, mesmo sabendo que não era possível.

Talvez o enfermeiro esteja precisando muito arrumar uma foda para matar esse desejo que corria por todo o seu corpo. Ele passou os olhos pelas pessoas ali, querendo achar alguém que pudesse lhe despertar interesse, mas antes que pudesse tirar uma conclusão sobre quem era mais interessante, alguém cutucou seu ombro, chamando sua atenção.

— Você é o homem de amarelo que chamou a atenção do cantor Jeongguk? — Um homem alto e forte perguntou.

— O quê!?

— Jeongguk está te convidando para conhecê-lo no camarim.

O quê!? Taehyung não conseguia acreditar no que estava ouvindo. Ele realmente não conseguia acreditar, porque quando um homem iria do nada chegar em Taehyung e dizer que Jeongguk o estava convidando para...

— Acha mesmo que vou acreditar nisso? — Taehyung perguntou.

— Senhor...

— Taehyung.

— Senhor Taehyung, sou segurança do evento e o próprio Jeongguk me pediu para procurá-lo — o "segurança" explicou no ouvido de Taehyung.

— Você está me alugando.

Taehyung riu, porque foi a única reação que conseguiu ter ao ouvir aquela baboseira saindo da boca do homem, até então desconhecido. E de verdade, Taehyung não queria conhecer o tal "segurança", não mesmo. Ele não passava nenhum tipo de confiança em Taehyung e ele não sairia dali com um homem desconhecido.

— Se Jeongguk está mesmo me convidando para o camarim dele, você vai ter que me provar isso, porque eu não vou a lugar nenhum com um homem desconhecido.

O homem suspirou.

— O que eu não faço para manter o meu emprego — ele resmunga sozinho — Vou falar com o Jeongguk e volto para trazer provas.

— Eu espero — Taehyung sorriu forçado para o homem e ele saiu.


Só vou pedir desculpas
O nosso pra sempre acabou e um novo amor veio com tudo
Meu erro pesou na balança e não vamos mais ficar juntos
Porque eu estraguei tudo


Vou ter que superar suas fotos com ele viajando
E as amigas comentando que são um belo casal
Vou ter que superar o dia do casamento
Esperando que o tempo aos poucos possa me curar
Vou ter que superar que a gente não vai mais voltar
Vou ter que superar que a gente não vai mais voltar


O homem que se dizia segurança voltou depois de três músicas que a dupla Matheus & Kauan cantou. Parou ao lado de Taehyung, que até estava curioso para saber qual seria a prova que ele daria para o enfermeiro.

— Jeongguk mandou isso — o homem estendeu o objeto na mão de Taehyung, que pegou percebendo que era um óculos.

Óculos esse que era idêntico ao que Jeongguk estava usando no seu show, mas que Taehyung não considerava como uma prova concreta de que viria do próprio Jeongguk.

— Vai ter que ser melhor que isso, segurança.

— Achei mesmo que você iria precisar de mais provas — ele sorriu cínico para o Taehyung — por isso trouxe mais uma coisa.

Ele aproxima um aparelho celular do ouvido de Taehyung para que ele escute uma mensagem de voz. Não é muito alto, já que o show ainda está rolando com som muito alto, mas a mensagem de voz é alta o suficiente para que Taehyung escute "Oi, trem lindo, fiquei sabendo que precisava de provas de mim, então lá vai: eu, Jeon Jeongguk, estou te convidando para me conhecer no camarim, se você quiser. Vai ser bão demais se você aceitar".

Taehyung ouviu a voz do cantor por uma noite, mas foi o suficiente para confirmar que aquela era mesmo a voz de Jeongguk. Uma quentura subiu por suas bochechas ao perceber que tudo o que ele estava imaginando impossível naquele dia, estava realmente acontecendo. O cantor estava mesmo o convidando para ir em seu camarim e Taehyung ainda pôde perceber os tons de segundas intenções na voz sensual do homem.

— Eu tenho que avisar meu amigo primeiro — ele respondeu o segurança finalmente — espera aí um tiquinho.

O segurança pacientemente esperou Taehyung mandar mensagem para o seu melhor amigo.


[Hoseok]
| Se perdeu é?


[Taehyung]
| Vc n vai
| acreditar
| no que
| aconteceu
| cmg?


[Hoseok]
| Pq vc tem que mandar msg assim?
| Td dividido
| Sabe q eu odeio


[Taehyung]
| AMIGO FOCA AQ!!!!


[Hoseok]
| Ok
| Fala logo o q aconteceu


[Taehyung]
| Seu cantor fav
| Jeongguk
| Me chamou
| Pra ir
| No camarim
| DELE
| hehe >.<


[Hoseok]
| É OQ?
| !!!!!!!!!!!!!
| NQASNXKASQLnkxd
| nklascnscncçlnsc
| wsnkswnlcnwelcfnw
| wo3djhksnçDÇswflqnfc


[Taehyung]
| Isso msm amg
| Ele tava falando
| de mim
| no show
| quando falou "trem lindo"


[Hoseok]
| Eu quero um autógrafo
| Consiga pra mim dps de sentar nele


[Taehyung]
|TCHAU


[Hoseok]
|ME CONTA TUDO DEPOIS
|NÃO ESQUECE MEU AUTÓGRAFO


O segurança já estava um pouco impaciente quando Taehyung bloqueou o celular e o encarou, então o homem apenas indicou para que Taehyung o seguisse e assim ele o fez. Andaram até uma área mais reservada onde se encontravam os camarins, tinha um espaço com mesas e cadeiras e vários dos cantores que se apresentavam estavam sentados ali. Hoseok com certeza teria surtado se visse seus cantores favoritos naquele lugar. O pensamento fez Taehyung rir baixinho.

Pararam em frente uma das portas fechadas e o segurança bateu levemente ali, a porta logo foi aberta, revelando o cantor usando uma calça e blusa pretas, o que o deixava ainda mais sexy, se é que isso era possível. Jeongguk sorriu para Taehyung, segurando a porta e o segurança deu de ombros e se afastou.

— Oi trem lindo — ele cumprimentou Taehyung — Qual o seu nome?

— Taehyung — respondeu.

— Quer entrar? — ele deu espaço para que Taehyung entrasse no camarim.

— Por que não? — o enfermeiro deu de ombros e entrou. Jeongguk fechou a porta e os dois ficaram sozinhos no camarim.

O local não era grande, tinha um sofá pequeno de couro preto, uma penteadeira com espelho cheio de produtos de beleza em cima e um frigobar ao lado. Havia também uma pequena mala no chão ao lado do sofá, onde Taehyung imaginou que o cantor guardasse as suas coisas.

— Então trem lindo — Jeongguk tentou puxar assunto — tenho te reparado desde o momento que entrei no palco. Sem ofensas, mas parecia que você estava no lugar errado.

Taehyung riu soprado, o cantor só o chamava pelo mesmo apelido e pelo jeito não mudaria, mas também, o enfermeiro não achava o apelido ruim, na verdade, achava até fofo.

Sertanejo não é meu estilo musical — ele respondeu e já prevendo a próxima pergunta do cantor, continuou: — Meu melhor amigo me prometeu cerveja grátis e pamonha se eu viesse com ele.

— É uma proposta tentadora — Jeongguk riu — É coreano, Taehyung?

O seu nome nos lábios do cantor soou tão bonito e sensual que, por um momento, Taehyung esqueceu totalmente qual era a pergunta que havia sido feita.

— Sim, mas nasci e cresci em Goiânia, meus pais vieram para cá muito antes de eu nascer. Sou Goiano do pé rachado — Taehyung explicou — E você?

— Nasci em Aparecida e cresci brincando pelas ruas do Setor dos Afonsos — o cantor ri, indica o sofá e os dois se sentam lado a lado — Seu nome é lindo, mas eu prefiro te chamar de trem lindo. Posso?

— Você pode me chamar do que quiser — ele falou em tom de flerte e o sorriso do cantor aumentou ainda mais.

— Você é direto ao ponto — ele comentou e Taehyung deu de ombros — Quer beber alguma coisa?

— Não, obrigado — Taehyung é educado ao responder.

— Então, trem lindo, já que você disse que só estava aqui porque foi comprado pelo melhor amigo, o que eu não julgo porque eu também aceitaria a proposta, devo supor que você não me conhecia antes de hoje...

— Supôs certo — Taehyung riu baixo, ele não tinha vergonha de dizer as coisas — Eu realmente não fazia a menor ideia de quem você era.

— Mas mesmo assim aceitou vir ao meu camarim — Jeongguk comentou — Por quê?

— Você me convidou, e eu adoraria saber o que você quer comigo e quais foram suas intenções ao me convidar — Taehyung arqueou as sobrancelhas, questionando o cantor.

Jeongguk se aproxima mais de Taehyung, até que seus joelhos se toquem. O ar no ambiente muda automaticamente, porque os dois sabem o que querem e os dois sabem como vão terminar as coisas ali, mas mesmo assim, preferem jogar esse jogo de não assumirem suas próprias intenções.

— O que eu quero com você é muito inapropriado para falar em voz alta — o cantor responde sem tirar o sorriso dos lábios.

Taehyung aproximou do cantor até sentir suas respirações se misturando, ficaram tão próximos que os lábios quase se tocaram, e o enfermeiro quase jogou o foda-se e lascou um beijo gostoso nos lábios de Jeongguk, mas apenas desviou os lábios até que ficasse rente a orelha do cantor, colocou a mão na coxa dele e a apertou com vontade ao falar:

— Se não pode falar, que tal fazer?

Jeongguk se virou até que os lábios dos dois ficaram próximos novamente. Taehyung tinha muita consciência de que havia conseguido mexer com o cantor, que havia conseguido atingir o seu objetivo. Jeongguk estava quase beirando a insanidade e os dois mal haviam se tocado.

O moreno segurou Taehyung pela cintura e o puxou para o seu colo, fazendo o enfermeiro ficar com uma perna de cada lado de seu corpo, a bunda encaixada na ereção que tinha começado a se despertar em baixo de si. Taehyung deu uma leve reboladinha, só para sentir prazer em ver Jeongguk ficando um pouquinho mais louco e suspirar pesado ao apertar a cinturinha dele.

— Eu não sou do tipo que pega leve — Jeongguk murmurou.

Bão demais, eu não sou do tipo que gosta que peguem leve comigo — Taehyung apoiou as mãos nos ombros do cantor.

Jeongguk não precisou falar mais nada, já que os dois juntaram as bocas em um beijo delicioso. Eles não saberiam nem dizer quem teve a iniciativa e nem ao menos estavam preocupados com isso naquele momento, porque as línguas se tocando era muito mais interessante para eles.

E era delicioso para os dois aquela sensação de conhecer uma boca nova, de experimentar uma boca tão gostosa quanto aquelas. As mãos de Taehyung foram rapidamente para os cabelos de Jeongguk, que não apresentou restrições quando o enfermeiro puxou seus fios de cabelo com força, assim que o beijo passou a ficar mais intenso. As mãos do cantor foram da cintura até as coxas de Taehyung e ele as apertou com força, fazendo o enfermeiro soltar um suspiro no meio do beijo.

— Meu Deus...

— Tem que falar meu nome gatinho — Taehyung falou com um sorriso nos lábios — Quem vai rebolar no seu pau sou eu.

— Caralho... então rebola agora trem lindo — Jeongguk pediu e voltou a beijá-lo.

Taehyung não perdeu tempo e passou a rebolar no colo do mais novo, parecia uma tortura para Jeongguk sentir ele rebolar tão lentamente em cima do seu pau ainda coberto pelas roupas, mas Taehyung fazia aquilo exatamente na intenção de torturar o Jeongguk.

Nóóó trem lindo, você tá me torturando... p-porra — Jeongguk jogou a cabeça para trás em êxtase, os olhos fechados e a respiração desconexa.

Taehyung abriu os botões da camiseta preta que Jeongguk usava e apoiou as mãos no seu peito nu, enquanto ainda rebolava no seu colo. O cantor tinha algumas tatuagens espalhadas pelo peito, mas Taehyung não estava em um momento que poderia reparar detalhadamente em cada uma delas.

— Me marca gatinho — Taehyung pediu manhoso.

Jeongguk não falou nada, sua boca foi direto para o pescoço do Taehyung, onde ele deixou chupões pela tez dourada e cheirosa. Taehyung deixava gemidos escaparem pelos lábios e sentiu sua ereção dura raspando em Jeongguk, ele queria ser tocado ainda mais. Não estava mais sendo o suficiente ser tocado por cima das roupas, ele queria pele com pele.

Taehyung parou de rebolar, fazendo Jeongguk o olhar inquisitivo, o cantor queria que ele continuasse até ele gozar e depois queria entrar em Taehyung e fazer ele gozar. Na verdade, queria que eles passassem a noite naquele sofá tendo diversos orgasmos deliciosos.

— Não para, trem lindo — Jeongguk pediu.

— Calma gatinho, você vai me ter todinho — ele sorriu maroto.

Taehyung se levantou do colo de Jeongguk, sem apagar o sorriso dos lábios e o cantor só o encarava interrogativo, esperando qual seria o próximo passo dele, mas não esperava que Taehyung fosse retirar as roupas lentamente. Ele começou pelo sobretudo amarelo, deixando cair no chão sem se importar onde, depois tirou a calça branca lentamente sob o olhar do cantor, que deslizou a língua pelos lábios, os olhos cravados naquele show à sua frente.

— Puta que Pariu! Você é uma delícia — Jeongguk elogiou, apoiando os cotovelos nos joelhos e Taehyung riu baixinho.

— Não tem que experimentar antes? — Ele retirou a camiseta e virou de costas para o cantor, a bunda empinadinha em sua direção. Taehyung foi retirando a última peça lentamente, ainda de costas, sabendo que estava sendo observado pelo cantor. Ele sentia o olhar queimando em suas costas, e amava saber que estava sendo adorado.

— Porra! — Jeongguk não aguenta só ficar observando, o cantor sempre foi um homem de atitudes, então se levantou e puxou Taehyung pela cintura com brutalidade — Essa bunda sua é tão gostosa.

— Que brutalidade gatinho — Taehyung fala com falsa inocência.

— Eu disse pra você que não pego leve.

— Então me pega de jeito.

Jeongguk empurrou Taehyung até que ele estivesse no sofá, de costas para o cantor, os joelhos apoiados no estofado e os braços no encosto do sofá, a ereção dura encostada na sua barriga. Por cima do ombro ele pode assistir Jeongguk se desfazer do restante das suas roupas rapidamente, ficando totalmente nu, a boca de Taehyung salivou ao ver o quão gostoso era o cantor, ele quis passar a língua por todo o corpo de Jeongguk e estava quase pedindo por isso, quando o cantor o encoxou por trás e puxou o corpo de Taehyung até que suas costas encostasse no peito de Jeongguk. Ele simulou estocadas na bunda de Taehyung, o fazendo soltar gemidos só com aquilo e os barulhos eram melhores que músicas para o ouvido de Jeongguk.

Jeon se afastou um pouquinho e suas mãos passearam desde as coxas de Taehyung até pararem em sua bunda, onde o cantor roçou um dos dedos na entradinha piscante do loirinho.

— E esse cuzinho? Eu posso chupar esse cuzinho guloso? — Jeongguk perguntou no pé do seu ouvido, ainda estimulando sua entradinha.

— Aaaah... S-sim, por f-f-favor — Taehyung apertou um dos seus mamilos com uma das mãos, estimulando o botãozinho amarronzado. Ele soltou os mamilos e, para a loucura de Jeongguk, levou as duas mãos para as bandas da sua bunda, as abrindo para ajudar o cantor, que tinha uma visão privilegiada do buraquinho piscante a sua frente.

E Jeongguk caiu de boca, não demorou a passar a língua levemente pela entradinha piscando sedenta, fazendo Taehyung soltar um gemido contido.

— Não contenha os seus gemidos, trem lindo — Jeongguk mandou, substituindo as mãos de Taehyung, que estavam segurando suas nádegas, pelas suas. Taehyung voltou a apoiar os braços no encosto do sofá, pedindo para ser tocado com a língua do cantor novamente — Eu quero ouvir você gemer por todas essas paredes, só eu vou te ouvir, e eu quero ser o dono dos seus gemidos essa noite.

Jeongguk voltou a trabalhar na entradinha do enfermeiro sem descanso e Taehyung, mais desinibido, passou a gemer mais alto sem conter os sons como o cantor havia mandado. Jeongguk passou a estocá-lo com a língua e foi aí que ele foi mais ainda a loucura, passou a gritar dentro do camarim pedindo por mais despudoradamente. Gritava tão alto e não estava nem aí se tinha gente do lado de fora ouvindo, não quando tinha um cantor gostoso daquele com a língua na sua bunda.

— Droga... isso é tão bom gatinho — Taehyung murmurou, mas não fazia ideia se Jeongguk tinha ouvido — Se continuar desse jeito eu vou gozar.

E não era mentira. Taehyung se sentia tão sensível e estimulado, que sentia que gozaria forte só com o beijo grego do cantor. Jeongguk se afastou e deu um tapa forte na bunda de Taehyung, o fazendo gemer em excitação.

— Faz de novo... Faz, por favor — Taehyung implorou manhoso, e Jeongguk soltou uma risada baixa.

— Então o trem lindo gosta de levar tapas.

Adoroooooo — ele balançou as nádegas na cara do cantor, que estalou os dedos na bunda do loirinho, no mesmo lugar em que havia batido antes — Porraaa, isso é tão bom.

— Empina essa bunda gostosa para mim, vou te chupar até você gozar — Jeongguk mandou e Taehyung não perdeu tempo, obedeceu o cantor sem nem pensar duas vezes, doido para receber o beijo grego dele novamente. O moreno não perdeu tempo ao voltar para o que estava fazendo, as mãos apertando as nádegas com força e a língua voltando a trabalhar com ainda mais maestria, fazendo Taehyung ir à loucura. Jeongguk desceu a língua até o períneo dele, deixando um rastro de saliva pelo caminho e fez o caminho de volta até a entradinha do enfermeiro.

O cantor, que até então estava ajoelhado no chão, se levantou e virou Taehyung de frente para si, que o encarou confuso com o olhar que perguntava "Não ia me chupar até eu gozar?".

— Calma, trem lindo, eu vou te fazer gozar ainda — ele sorriu ao falar aquilo — Abre a boquinha, huh.

Taehyung abriu a boca como foi ordenado e o cantor colocou três dedos na língua quente do enfermeiro, que entendendo o que ele queria, segurou o braço de Jeongguk pelo pulso e começou a chupar os dedos com vontade, os deixando bem molhados. Chupou como se fosse o pau do cantor, queria mostrar pra ele suas habilidades em um belo boquete.

— Você é a porra de uma tentação — Jeongguk murmurou enquanto Taehyung chupava seus dedos tão desinibido e safado.

O olhar de inocência de Taehyung não condizia nada com o momento e com o que ele estava fazendo ali, mas ele ainda assim carregava aquele olhar que só fazia Jeongguk o achar ainda mais delicioso.

— Deita no sofá, trem lindo, vou te fazer gozar deliciosamente — Jeongguk mandou e Taehyung obedeceu de prontidão. O cantor ficou por cima de Taehyung, o corpo no meio das suas pernas se inclinando para iniciar um beijo cheio de saliva e escorregou sua mão até o pau de Taehyung, iniciando uma masturbação lenta que fez o enfermeiro gemer entre o beijo e Jeongguk sorrir — Gosta disso trem lindo? Da minha mão no seu pau desse jeito?

— Porra... Isso é tão bom — Taehyung arqueou as costas louco de prazer, os seus lábios roçavam nos lábios do cantor.

Jeongguk desceu os lábios até o pescoço de Taehyung, depositando beijos ali e deixando marcas, como ele havia permitido. Desceu depois até sua clavícula, lambendo a pele exposta para si, deixando rastros da sua saliva lentamente, até chegar em um dos seus mamilos, soprou de leve a região o que fez Taehyung gemer.

— É sensível aqui trem lindo? — Jeongguk perguntou ao encarar Taehyung com os olhos fechados. Ele parou a masturbação e sua mão desceu até o períneo, continuando o caminho até chegar a sua entradinha piscante, o penetrando sem cerimônias com o dedo indicador.

Taehyung não conseguiu evitar o grito que escapou dos seus lábios quando Jeongguk passou a estocá-lo com o dedo rapidamente, o cantor ao mesmo tempo passou a chupar seu mamilo e foi tudo o que Taehyung precisou para gritar ainda mais, não conseguia nem lembrar do seu próprio nome, imerso demais para pensar em qualquer outra coisa.

Jeongguk desceu os lábios pela sua barriga, deixando um chupão na sua virilha e chegando ao seu pau. Ao contrário do que Taehyung pensou que Jeongguk faria, ele foi direto abocanhando o seu pau, indo até o fundo da sua garganta e voltando. Taehyung arqueou as costas, gemendo o nome do cantor.

— Coloca os outros dedos gatinho — Taehyung pediu com a voz quebrada de prazer, levou uma das pernas até a cintura do cantor, facilitando a penetração. Jeongguk acatou a ordem e inseriu os mais dois dedos na entrada do enfermeiro, voltando a estocá-lo com força, e Taehyung só sabia gemer — Assim, bem aí... P-porr-rra...

— Achei, trem lindo? — Jeongguk perguntou ao saber que havia encontrado o pontinho de Taehyung, o que o levaria ainda mais à loucura — Quer gozar, Taehyung?

— SIM! Porra, sim — ele gritou algumas palavras desconexas.

— Vem pra mim — Jeongguk voltou a abocanhar seu pau, iniciando um boquete molhado, saliva escorria por todo o seu queixo. Taehyung apertou os próprios mamilos, sentiu o seu prazer chegando e gozou na boca do cantor, que engoliu tudinho.

— Isso foi... Ótimo — Taehyung falou com a respiração entrecortada e Jeongguk riu.

— Já cansou, trem lindo? — O cantor indagou acariciando as pernas de Taehyung, que sorriu e se sentou de frente para Jeongguk.

— Não mesmo gatinho — ele sorriu de lado — Eu aguento muito mais.

Taehyung empurrou Jeongguk até que ele estivesse sentado no sofá, foi para cima do seu colo e encaixou sua bunda em cima do pau do cantor, fazendo ele gemer pela sensibilidade da sua ereção.

— Sou insaciável — ele segurou Jeongguk pelos ombros.

— Você é um gostoso da porra — Jeongguk rosnou e o beijou com brutalidade, fazendo os dentes se chocarem, mas isso não foi impedimento para nenhum dos dois, já que estavam mais preocupados em tocarem o corpo um do outro enquanto se beijavam — Eu quero muito entrar em você, trem lindo. Deixa, huh?

— Me fode com força — Taehyung mandou — Me faça chorar e perder a força das minhas pernas.

Jeongguk apertou a cintura com força, voltando a beijá-lo com mais brutalidade, passando as mãos pela tez dourada e macia do enfermeiro, apertando onde conseguia.

— Fica de quatro pra mim, trem lindo — Jeongguk pediu após separar o beijo — Quero começar te comendo assim.

Jeongguk se levantou para pegar camisinha e lubrificante na sua mala e quando voltou para o sofá, Taehyung estava de quatro ali em cima e olhou por cima do ombro para o moreno com um sorriso safado nos lábios.

— Essa visão é dos deuses — Jeongguk deixou um tapa em uma das bandas da sua bunda e o enfermeiro gemeu com o contato — Porra, trem lindo, você tá tirando toda a minha sanidade.

Taehyung, como resposta, rebolou a bunda, pedindo para ser fodido com força pelo cantor, assim como havia mandado antes. Queria sentir aquele caralho dentro dele, lhe rasgando por dentro e o levando às alturas.

Jeongguk colocou a camisinha e passou lubrificante por cima da sua ereção, espalhando por todo o comprimento, doido para ser engolido pelo homem de quatro à sua frente, que o estava deixando louco. Ele pincelou a cabecinha na entradinha pulsante de Taehyung, começando a invadi-lo lentamente, já que tinha noção de que poderia doer e seu tamanho também não ajudava, mas porra... ele era tão apertado, que Jeongguk quis entrar de uma vez e passar a estocá-lo com força.

— Você é tão apertadinho, que delicia — Jeongguk falou quando estava totalmente dentro de Taehyung — Eu sinto que você está me estrangulando com esse cuzinho guloso.

Taehyung nada respondeu, mas começou a rebolar lentamente, passando a mensagem de que queria que Jeongguk começasse a estocá-lo e foi o que o cantor fez, saiu quase tudo e voltou lento para o interior de Taehyung.

— Com força gatinho, eu aguento — Taehyung mandou após a quinta estocada lenta que recebeu.

Jeongguk então se moveu com força e rapidez dentro de Taehyung, os dois gemiam desesperados e o moreno o segurava com força pela cintura, apertando a pele com vontade enquanto estocava o enfermeiro com força.

— Você me engole tão bem — Jeongguk falava entre os gemidos — Gostoso da porra.

— Me bate gatinho — Taehyung gemeu manhoso — Me deixa marcado com a sua palma... Porra, eu posso te sentir me rasgando, você é tão grande, isso é tão gostoso... Caralho...

Jeongguk desferiu um tapa em cada uma das bandas da bunda de Taehyung, fazendo ele gritar, sua voz ecoando por todo o camarim. Aquilo era uma experiência deliciosa para os dois, transarem dentro de um camarim, sabendo que estava acontecendo um show lá fora e poderia ter gente ouvindo os dois. Mas eles não se importavam, na verdade gostavam ainda mais.

— Quero cavalgar em você — Taehyung pediu.

Jeongguk gemeu só de ouvir aquilo e imaginar a cena deliciosa. Os dois trocaram posições, Jeongguk sentou no sofá de pernas abertas e com as costas no encosto do móvel, Taehyung sentou no colo do cantor e encaixou o pau dele na sua entradinha, descendo até que estivesse totalmente dentro de si.

— Isso é tão... Gostoso — Taehyung murmurou ao começar a rebolar devagar no colo do cantor.

— É gostoso sentir meu caralho te rasgando, trem lindo?

Taehyung passou a cavalgar em cima do mais novo, subindo e descendo com força e rapidez. Jeongguk segurava sua cintura, o ajudando a se mover em cima de si, enquanto os dois gemiam palavras desconexas, sem conseguir pensar em qualquer outra coisa.

— Me xinga — Taehyung mandou sem parar de cavalgar.

Taehyung era um devasso entre quatro paredes e não tinha vergonha de nada, Jeongguk era igual e acatava todas as ideias do enfermeiro, e aquele pedido o levou a insanidade. Ele deu um tapa leve na bochecha de Taehyung e o mais novo o olhou desejoso, pedindo por mais.

— Você é uma putinha doida pelo meu caralho — Jeongguk falou entre os gemidos, desferindo outro tapa na bochecha de Taehyung — Que delícia... Caralho... Puta que pariu.

Jeongguk segurou Taehyung para que ele parasse e trocou as posições de novo. Dessa vez, Taehyung ficou deitado no sofá e Jeongguk por cima dele, pegou uma das suas pernas e a colocou em cima do seu ombro, a outra perna Taehyung enroscou na cintura do cantor, arranhando as costas de Jeongguk com suas unhas curtas e o cantor passou a estocá-lo novamente.

— Eu não vou aguentar muito mais, trem lindo — Jeongguk falou — Vou gozar.

— Eu também... Goza gatinho.

Jeongguk gozou primeiro, enchendo o látex da camisinha e, para prolongar o prazer, continuou estocando Taehyung até que o enfermeiro gozou também, sujando parte do seu abdômen e de Jeongguk também. O cantor caiu por cima de Taehyung, cansado demais para falar qualquer coisa, e os dois ficaram em silêncio tentando regularizar as respirações.

Não demorou para Jeongguk sair de dentro de Taehyung e se levantar para descartar a camisinha usada na lixeira ao lado da penteadeira do seu camarim. Olhou para Taehyung que continuava deitado no sofá de barriga para cima e olhos fechados.

Jeongguk pegou lenços umedecidos em cima da penteadeira, e limpou seu abdômen, depois caminhou até Taehyung para também limpá-lo. O enfermeiro sorriu, ainda de olhos fechados, cansado demais para proferir qualquer palavra.

— Então, trem lindo... — o cantor chamou sua atenção, que o olhou com o olhar inquisitivo. — Você vem amanhã também?

Taehyung riu com a pergunta do cantor, já sabendo que ele queria repetir o que fizeram.

— Por quê? Vai me convidar de novo para o seu camarim?

— Eu adoraria te ter no meu camarim amanhã de novo — Jeongguk respondeu com sinceridade. Taehyung sorriu antes de dar sua resposta para o cantor.


🎤


Taehyung estava sentado no seu sofá lembrando de alguns anos atrás, em uma noite deliciosa que teve com um certo cantor no camarim do show. Com certeza aquela havia sido uma das melhores transas que Taehyung teve com alguém, aquela noite havia sido inesquecível. Estava tão imerso nos seus pensamentos, que nem percebeu que estava sendo observado.

— No que está pensando, trem lindo?

A voz acabou assustando Taehyung, já que ele não estava atento a nada ao seu redor, pensando sobre outras coisas.

Encarou Jeongguk, que estava encostado no batente da porta, observando o marido absorto em pensamentos. Estavam casados há dois anos, e bem felizes juntos. Jeongguk ainda era um cantor de sucesso e viajava para shows, às vezes acompanhado por Taehyung e às vezes sozinho. Taehyung continuava trabalhando no mesmo hospital, mas havia sido promovido há três anos.

Depois da noite quente que os dois tiveram no camarim do Jeongguk, acabaram trocando os números de telefone, e sempre que Jeongguk estava em Goiânia, os dois acabavam combinando de se encontrarem. O sexo casual foi evoluindo para encontros e os dois acabaram engatando em um relacionamento meses depois.

Tiveram que ter muita maturidade e confiança para trabalhar no relacionamento, já que Jeongguk viajava muito a trabalho e sempre conseguiam passar pelas barreiras que se colocavam na frente dos dois. Ficaram noivos após um pedido de Jeongguk no evento do Villa Mix do ano de 2020, e se casaram 6 meses depois, porque não conseguiam esperar mais do que isso.

— Estava pensando no dia em que nos conhecemos — Taehyung respondeu com um sorriso nos lábios.

Jeongguk levantou a sobrancelha, que agora adornava um piercing ali, que Taehyung achava muito sexy na verdade. Lembrava-se exatamente do dia em que Jeongguk chegou em casa usando aquele piercing e Taehyung já foi logo tirando a roupa para o, naquela época, namorado.

O cantor caminhou até estar sentado ao lado de Taehyung no sofá, que deita a cabeça em seu ombro com um sorriso nos lábios. Jeongguk abraça o marido pelos ombros e faz um carinho leve em seu braço.

— Foi uma noite deliciosa — Jeongguk comentou — Podemos repetir essa noite depois do meu show, no meu camarim. O que acha?

Taehyung riu.

— Você sabe que não posso, amor — ele olhou para o marido — Tenho plantão hoje, você sabe.

— Fazer o que né? — Jeongguk faz biquinho com os lábios e recebe um selinho de Taehyung.

Taehyung se levanta e fica em pé de frente para o marido, um sorriso nada inocente adornava seus lábios. Ele foi tirando suas roupas lentamente, peça por peça, sob o olhar de Jeongguk, que mesmo depois de anos, o encarava com adoração.

Delícia, delícia, assim você me mata — Jeongguk cantou o trecho, fazendo Taehyung rir — Ai se eu te pego. Ai, ai, se eu te pego.

Taehyung sorriu para o marido, totalmente nu na sua frente.

— Então vem me pegar gatinho.


*********************************************************************************************************


Dicionário Goiano:


- Pit Dog: sanduicheria de rua que se encontra em quase todas as esquinas de Goiânia;

- Vazar: ir embora;

- Trela: dar corda a alguém e/ou quando algo é muito engraçado;

- Pelejando: quando está tentando, insistindo com alguma coisa;

- Custoso: pessoa difícil, sapeca, ou pode também se referir a uma situação complicada;

- Estrovando: incomodando, atrapalhando;

- Anêim: jeito do goiano dizer "ah, não!" ou "anem";

- Larga mão: quer dizer que é para deixar pra lá, esquecer a história;

- Mocorongo: bobo, distraído

- Tem base um trem desse?: "pode uma coisa dessa?"

- Então tá bão: então tá bom

- Trem: pode substituir quase toda palavra, pode ser acompanhada de adjetivo, como por exemplo, "trem mais lindo".

- Dô conta não: expressão usada em diversas ocasiões. Mas é mais usada para quando uma pessoa está sem paciência com alguém ou para alguma situação.

- Caboco: cara, garoto.

- Ou quá?: é o mesmo que "ou não?", "ou o que?"

- Paia: chato, sem graça, ruim.

- Massa: quando algo é bom ou legal. E se for muito bom ou muito legal, então é massa demais.

- Quem nem: quando alguém diz "que nem", está querendo dizer "igual".

- Rensga ou Errensga: No geral, a expressão é usada quando algo impressionante acontece, ou quando você fica sabendo de algo surpreendente. É o mesmo que falar "caraca", ou um "nossa" mais entusiasmado.

- Encabulado: termo bastante usado para dizer que a pessoa ficou impressionada com alguma coisa.

- Alugar: além do significado real, a palavra também é usada com o mesmo sentido de conversa fiada.

- Bão demais: bom demais.


XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX


O que acharam? Sejam sinceros.

Eu escrevi essa OS em menos de uma semana, e até eu fiquei surpresa com o quão rápido eu escrevi esse tanto de palavras.

Enfim, já falei demais nas notas iniciais. Eu agradeço por cada pessoa que tirou seu tempo para ler o que escrevi, eu realmente gosto muito de escrever, e espero ter atendido as expectativas de vocês.

Me sigam se quiserem acompanhar minhas próximas histórias que pretendo postar. Tenho mais plots que postarei no futuro.

Até a próxima e um beijo para todo mundo.

Me sigam no Twitter: @kjmbangtan

XOXO, Juh.

9. Juli 2021 01:14:58 0 Bericht Einbetten Follow einer Story
0
Lesen Sie das nächste Kapitel Extra: Taekook em Goiânia

Kommentiere etwas

Post!
Bisher keine Kommentare. Sei der Erste, der etwas sagt!
~

Hast Du Spaß beim Lesen?

Hey! Es gibt noch 1 Übrige Kapitel dieser Story.
Um weiterzulesen, registriere dich bitte oder logge dich ein. Gratis!